O dia da semana que nasci

Este cálculo visa fornecer uma forma simples de se saber em que dia da semana cairá uma data. Basta informar a data que o calculador lhe informará o dia da semana. Saiba o que cada dia da semana diz sobre si. Domingo. Segundo a astrologia, as pessoas nascidas ao domingo são sortudas. A estrela governante é o Sol, o que geralmente significa que serão ... Mas vejamos, 2014 dividido por 7 dá 287 e resto 5, ou seja, se passaram 287 sextas e mais 5 dias, então basta contar que dia da semana será daqui a 5 dias, nesse caso será quarta. Assim a resposta para o seu desafio é Quarta. Até mais! Excluir Na letra 'A', digite o dia (XX), o mês (XX) e o ano em que nasceu (XXXX), depois clique em (Ver Dia). Exemplo: se digitarmos 01 - 01 - 2000, teremos como dia de nascimento o Sábado. De quebra, na letra 'B' descubra seu Orixá. Você quer saber o dia da semana de qualquer data importante? Se você estiver se perguntado 'em que dia da semana nasci' ou 'em que dia da semana ocorreu ou vai ocorrer aquele evento importante?', você está no lugar certo. Para isto, basta preencher o formulário abaixo e clicar no botão 'Calcular'. Descubra o que o dia da semana de seu nascimento pode revelar sobre sua personalidade e em que dias da semana nasceram os que mais combinam com você. DIA.DA.SEMANA: Retorna o dia da semana correspondente a uma data. O dia é dado como um inteiro, variando de 1 (domingo) a 7 (sábado), por padrão. Sintaxe DIA.DA.SEMANA(núm_série; retornar_tipo) Núm_série é um número seqüencial que representa a data do dia que você está tentando encontrar.

Eu sou novo

2020.09.22 16:19 EevTheWinner Eu sou novo

Olá, sou novo no grupo e queria me apresentar. Sou conservador de direita, pai de família, assovio no escuro para espantar o curupira, tomo banho gelado 10 vezes ao dia, bato no vidro pra assustar o sorvete, assisto Peaky Blinders todo dia da primeira temporada até a última, durmo no cinema, grito na igreja, almoço virado para a parede, uso biokinesis pra virar macho alfa, desço montanha e escalo ela todo dia em 5 minutos, bato na esposa, leio clube das 5, sou dono da página Orgulho de ser Hétero, ouço ondas Gamma enquanto durmo, tomo café gelado sem açúcar, faço teste de QI na internet, estou no No Fap desde que nasci, ajudei minha mãe no parto do meu irmão mais velho, leio 60 livros por dia, pratico roleta russa com o meu cachorro, MGTOW, Brain Force, pratico telecinese, sei dar salto quântico, 190 de QI, sei mexer o pau sem piscar o cú, tenho uma placa de metal na parte frontal do cérebro que impede de eu ser emocional, jejum 24h, faço treino saitama desde os 5 anos, sou apoiador do Lord Vinheteiro, violinista prodígio, deixo música clássica no alto, enema de café, consigo manipular qualquer um encarando, sou frio e calculista, odeio mulheres que usam decotes, vou no bar 78 vezes por dia, O senhor é o meu pastor, medito 10 horas ao dia, jogo poker apostando meus filhos, fumo 3.000 cigarros por semana, erro 99 vezes propositalmente só pra acertar na última, sou perito técnico nas expressões faciais, utilizo o método do palácio mental, assisto Copini desde o lançamento do canal, tenho 854 amantes e nenhuma delas sabe que eu sou gay, sou um mestre da dedução, vou para a igreja só pra tomar café, já matei o Nego Ney com uma carabina de pressão 5.5 encima de um prédio de 38 andares, gosto da página CBM mas odeio por ser socialista, INTP-J, acredito em pseudociência, matei o coronavírus apresentando o meu histórico de atleta, corro de crocs do Acre até o Rio de Janeiro todo dia, sei falar em autotune, ando armado
submitted by EevTheWinner to copypastabr [link] [comments]


2020.09.22 03:12 rafiuzky Tentativa de transcrever o que estou “sentindo”

Introduçãozinha, nasci em novembro de 1999, no momento no 4° semestre de Engenharia(temporariamente EAD), trabalhando homeoffice como desenvolvedor JúnioPleno numa empresa ae.
Peço perdão adiantado, aos que lerão, pela desorganização, pois nestes momentos meus pensamentos não são tão lineares.
— — — —
Por volta de 2010~2012(quando tinha meus 10~12), foi a época que comecei a sair com meus colegas/amigos, ir em shoppings, cinemas, eventos, etc; porém foi nessa mesma época que comecei a me sentir sozinho. Após uma série de eventos dentre esse época e 2015, acabei optando por evitar eventos sociais de média/grande dimensão(mais de 5 pessoas já fica insuportavelmente desconfortável).
Isso provou muito bem que a gente colhe o que planta, estou vivenciando isso hoje aos meus 20 anos, sinto que a solidão já me engoliu, sem amigos/conhecidos para conversar, e com a faculdade e trabalho ocupando mais de 80% do meu tempo, acabo que não estarei fazendo amizades tão cedo.
Há outros motivos no meio que dificultam a minha convivência com outras pessoas, todos motivos são única e exclusivamente meus, muitos desses “motivos” são problemas aparentemente inexistentes que minha mente cria por sei lá qual motivo, parece que tem algo dentro de mim que quer que eu fique sozinho.
Esse “ser” dentro de mim, carinhosamente apelidado de “minimim” está quase que constantemente tentando me jogar para baixo, poucos momentos de lucidez(como este que estou tomando para escrever esse texto) me permitem perceber que todos os problemas, xingamentos, desmotivação e automutilação mental criados por ele não fazem sentido algum.
Já tentei confrontar, ignorar e até mesmo conciliar-me com o minimim, mas tudo foi em vão, de uns tempos pra cá(cerca de Agosto~Novembro de 2018) acabei meio que aceitando sua presença, e o recebi de braços abertos, no começo aparentou ter sido a melhor coisa que fiz, hoje vejo que não. Desmotivação e preguiça criados por ele me fazem não conseguir sair da cama por alguns dias(não é tanto problema pois tanto meu trabalho quanto minha facul são remotos), impedindo-me de procurar ajuda ou ao menos sair do meu casulo antissocial para respirar um pouco.
Algumas vezes eu tento me ver de um ponto de vista externo para entender minha situação e realmente não estou na pior, estou vivenciando uma epidemia global, com emprego fixo, não passando nenhuma dificuldade, com a família saudável e sem quaisquer problemas, porém reclamando por não ter com quem realmente conversar. Isso me faz sentir egoísta, e de certa forma até dramático, pelo simples fato de estar uma condição boa em um momento na qual boa parte da sociedade está desmoronando, empresas fechando, pessoas perdendo o emprego, etc.
Não sei qual a idade de você que está lendo isso, mas independente disso acho que a porcentagem de pessoas que conhecem o conceito da “Banalidade do Mal” de Hannah Arendt(calma que isso vai explicar algo que acredito que possa ser adaptado para o meu caso). “Banalidade do Mal” é culpar um pensamento, conceito, sociedade, etc; como uma personificação de algo, não a si mesmo. Por exemplo, eu culpar minha religião por algo de ruim(ou até mesmo bom) que fiz, eu cometi aquela ação, usando minhas mãos(resumidamente).
O ponto é, nesses momentos mais lúcidos sinto que criei esse “minimim” para de certa forma transferir a culpa de minhas ações para esse ser inexistente, o fato de eu ter essa clareza no momento é de certa forma assustador, pois quando “ele” ataca, nem penso nessa possibilidade, como se toda essa lucidez, clareza, perceptibilidade, nitidez e compreensão que estou tendo nesse momento desaparecesse, como se nunca nem tivesse existido.
Eu já direcionei esses pensamentos negativos como uma alavanca de motivação para melhorar como pessoa, foquei em me alimentar melhor, fazer exercício, dedicar-me mais nos estudos, fazer testes para empresas, e funcionou, infelizmente apenas temporariamente. Um certo tempo depois quando comecei a colher os frutos dessa alavanca motivadora, percebi que nada disso me importava. Independente de meu porte físico, saúde, dedicação e eficiência tanto no mundo profissional quanto estudantil, meu eu interior estava pior que nunca, e acabei voltando pra a estaca zero(sendo sincero até mesmo pior).
A faculdade e trabalho já perderam o sentido, nem sei o porquê de continuar em um ou outro, poderia muito bem dar uma pausa para respirar, porém não faria sentido algum fazer isso, pois já fiz antes e não ajudou em nada. Talvez eu tenha nascido apenas com o objetivo de viver nessa tortura interna de não querer ser sozinho, porém ao mesmo tempo não ter nenhum dom/skill social para manter o mínimo de uma relação descontraída/informal.
Não sei o que será de mim nos próximos meses, provavelmente não será procurando ajuda profissional e nem ao menos tentando melhorar como pessoa, pois que nem eu disse anteriormente, cheguei em um estado de aceitação que temo não ter volta.
Resumindo, sou um merda e não quero (ou não tenho ânimo algum de) mudar.
Tem outras coisas que queria abordar aqui, como por exemplo: minha indiferença à religião/fé, meus pensamento em relação às pessoas em minha volta, timidez extrema, falta de autoestima, a não confiança em pessoas próximas, eventos que ocorreram entre 2010~2015 que possam ter influenciado no meu perfil atual, entre outros tópicos que poderiam agregar algo; mas estou com preguiça de digitar, e acho que o texto já está longo de mais.
Boa semana rapaziada.
submitted by rafiuzky to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 15:11 FlavioKD9 Estou desistindo de mim

Bom, cá estou eu novamente desabafando porque não tenho com quem conversar sobre isso.
Esse fim de semana foi a gota d'água, e acho que não só pra mim, pela primeira vez eu vi minha mãe chorar e dizer que não consegue ser feliz no trabalho nem em casa. Eu tentei (e consegui) por muito tempo fingir que eu estava bem, só que as coisas estão piorando, noites sem dormir, várias vezes quando meus pais estão em casa eu vou no banheiro pra chorar, e não ando tão animado assim quando eu era há uns 5 anos atrás.
Tenho tido várias crises de ansiedade, começa a me faltar o ar, coração acelera, e eu começo a chorar. Todo dia tenho uma, só que durante a semana, meus pais trabalham a maior parte do dia, basicamente só vejo eles de noite, então dá pra esconder. Já pensei várias vezes em me matar, porque seria a opção mais rápida e fácil.
Eu fui criado em uma família evangélica, sempre acreditei em Deus e tudo. Só que estou sentindo que se ele existiu e existiram vidas passadas, eu fui uma pessoa que jogou pedra na cruz. Nasci com uma pancada de problemas respiratórios, vivi minha infância toda indo no hospital, meus pais não tinham casa própria, eles moravam com minha avó, que na verdade era um quarto que cabia uma cama e algumas outras coisas. Meus pais passaram por muitos problemas, e eu me acho um lixo por estar pensando em me matar hoje, sendo que eles passaram por coisas piores. Só que eu sinto uma dor que não dá pra explicar, e eu só quero que ela suma pra sempre.
Sou uma pessoa muito sonhadora e odeio isso. Sonho em namorar uma cantora famosa que eu acompanho a quase 10 anos. Sonho em compartilhar coisas maravilhosas da vida com essa pessoa. Sonho em viver de música, poesia, arte, atuação, produção pra rede social. Sonho em ser rico e poder ajudar pessoas que não tem condição de ter um prato de comida na mesa. Sonho em ajudar pessoas com a arte, porque muitas pessoas me ajudam hoje, acredito que a arte é o que me mantêm. Sempre fui ligado a música, nesse momento enquanto escrevo esse post, estou escutando música. Parece que é um filme, e a trilha sonora tá tocando sempre.
Só que ao mesmo tempo, há outros empecilhos que me frustram e pensam que eu nunca vou conseguir realizar um sonho. Tenho mordida aberta, e consequentemente problemas na fala, odeio minha voz, odeio minha aparência, na verdade, não gosto de nada em mim. E já não é de hoje. Eu sempre quis ser muito sociável, mas nunca consegui manter amigos. Hoje, me vejo sozinho e nem estou aberto a ser sociável.
Vivi mais de 10 anos da minha vida fazendo tudo sozinho. Eu aprendi a ficar sozinho, tanto que hoje, eu não consigo ficar tanto com meus pais, e eu sei que isso machuca eles. Eu tento ficar, mas logo surge um comentário racista, uma piada sem graça, ou então ficam reclamando do trabalho. Eu sinto que eu sou o problema, porque se eles não tivessem um filho pra cuidar, eles não teriam que se matar de trabalhar, meu pai poderia ter seguido o sonho dele, minha mãe podia ter estudado.
Eu sei que sou uma pessoa ingrata, que tem um bilhão de pessoas em situações milhões de vezes piores que a minha. Só que eu também sei que eu tenho uma data limite, que eu to chegando nela. Eu tô desistindo de mim, quando começo alguma coisa, no começo eu fico empolgado, só que logo penso que nunca vou ser bom naquilo, e logo desisto. Como já falei dos sonhos, eu penso neles, mas logo vem o famoso "você nunca vai conseguir isso, nem tenta", e cada vez que isso acontece, parece ser mais certo que não vai acontecer.
Tenho 22, era pra mim estar começando a realizar meus sonhos, mas eu estou aqui, sem conseguir conversar com alguém que não seja uma pessoa desconhecida na internet, sem conseguir forças pra levantar da cama de manhã. Eu comecei a meditar semana passada, e foi uma das poucas coisas que aliviou um pouco minha ansiedade. Mas, depois de uma hora, ela volta e volta pior. Resumidamente, eu não sei mais o que fazer, eu to desistindo de mim mesmo, vendo meus sonhos fugirem pela janela, vendo o tempo passar, vendo as pessoas realizarem os sonhos delas. Nem sei porque estou escrevendo esse post, se daqui 1-2 dias tudo vai voltar a estaca zero.
submitted by FlavioKD9 to desabafos [link] [comments]


2020.09.10 15:46 henrylore Najiyu Ep 1 - A cachoeira

*Cenário todo pegando fogo
*cenário todo destruido
*explode um pedaço de um castelo ¿¿¹(pessoa de olhos vermelhos): acabou. eu destruí o líder em alguns segundos.
¿¿²(uma moça de cabelo rosa): você nem sabe o que você pode causar se fizer isso! VOCÊ NÃO PODE DESTRUIR TUDO
¿¿¹: é uma pena que todos vocês só conseguem dizer isso...
¿¿²: eu não vou deixar! *puxa espada ¿¿¹: *ataca rapidamente e acerta com a espada na ¿¿² é uma pena né... que nem esses poderes sagrados que você tem... são suficientes pra parar uma guerra ¿¿³(um velho com uma manta e um tridente): VOCE NÃO VAI CONSEGUIR *corre em direção ao ¿¿¹
**explode tudo
**você consegue ver uma criança caída no chão dentro do castelo em um lugar mais no cantinho dos escombros depois de tudo destruído
**da zoom na testa da criança e você consegue ver uma espiral
*muda pra um tempo depois e tudo volta ao normal
**numa casa
[o cenário é um quarto, com uma cama e uma mesa de cabeceira]
**debaixo do cobertor:
*sai uma cauda (de raposa)
??: *levanta e sai da cama (você consegue ver o símbolo na testa dele tbm)
hmmmmm
*abre a porta e sai do quarto
tem alguém aí?
**literalmente ninguém responde
*vai na cozinha
DOKE!
Doke?
Dooookeee....
...
Doke?
é, ele sumiu
*sobe na mesa possibilitando nossos queridos espectadores de ver o character design do nosso querido Henry
Henry
Idade: 12 anos (vai fazer 13) Altura: 1,59 Cabelo: loiro e cacheado Coisas adicionais: ele é uma raposa mas ele mesmo não …
Do: Henry? acordastes
H: *corre em direção ao doke
SIM!
como vc ta, conseguiu o telescópio q vc queria?
Do: nah, ainda não
H: mas já se fazem alguns meses...
Do: você sabe, não é todo dia que se vendem telescópios por ai
H: mas e a chuva de meteoros daqui a uma semana?
*faz carinha de choro :(
Do: relaxa a gente vai conseguir *abraça o henry
H: ... ei doke, já faz um tempo que eu quero te perguntar isso....
olha, eu nunca vi bodinhos andando com duas orelhas laranja e uma cauda laranja... então?
Do: você é um bode diferenciado
H: igual você que tem um chifre enorme?
Do: ainda bem que você não é um peixe, porque se fosse um, eu já teria pescado-
H: '-'
fiquei com medo
Do: imaginei. enfim, eu vou pescar
H: tabom, vê se não traz um baiacu dessa vez
Do: vou trazer dois, serve?
H:
*sobe na mesa possibilitando nossos queridos espectadores de ver o character design do nosso querido Henry
H: VE SE NAO DEMORA TA BOM?
Do: PODE DEIXAR...
H: ainda me da calafrios de pensar de onde eu vim...
**cai um livro de capa azul lá da estante
H: ... as pesquisas do doke... H: *abre o livro
Raposas são vistas normalmente na parte mais floresta de Naji, normalmente encontradas nas partes mas frias, e nas partes mais quentes no inverno.
Raposas são reconhecidas em Naji pela sua capacidade de controlar o fogo e de sua velocidade.
Raposas se adequam a novas experiências muito rápido
Raposas costumam ser mais sensíveis na cauda, tornando-a um alvo dos inimigos quando se trata de derrotar uma raposa.
Raposas da neve costumam ser brancas por se adaptarem a se camuflar na neve
Raposas da neve se adequam melhor a climas mais frios, e costumam ser mais experientes em áreas de caça.
Raposas vermelhas Possuem coloração laranja na cauda e nas orelhas E podem estar em qualquer região, menos a de calor extremo H: *olha pra própria cauda
^
e preferem ambientes mais aconchegantes
H: *tem um flashback do passado
{DOKE EU NAO VOU DORMIR SEM COBERTA!!}
to começando a perceber um padrão aqui...
^
Têm dificuldade de controlar mais de 1 elemento
H: *olha pro proprio dedo
eu quero... FOGO!
.
.
.
FOGO!
.
.
.
...fogo?
é, ninguém me ensinou isso afinal né...
vamo continuar
^
Raposas do deserto ou Feneco
**ouve a porta
Do: tô em casa
H: !!!!!!!! *fecha os olhos e aponta o braço na direção do livro *teleporta o livro pra estante *da um sorrisinho
*sai correndo
Do: tá em casa??? ah oi Henry
H: oi Doke tudo bom quanto tempo
Do: eu tô morrendo de cansaço...
H: mas são 12h...
Do: você fica cansado todas as 23h e 6 minutos do dia, Henry
H: não se compare comigo.
Do: você parece assustado, o que houve?
H: ... eu tava conversando com os coelhos ontem... e... já ouviu falar de raposas?
elas parecem bem parecidas comigo pelo oq falaram
Do: parecem bem parecidas é o auge do que tu ja me falou...
hmmmmm....
não, elas não tem nada a ver com você
H: MAS EU TENHO CERTEZA QUE-
Do: vamo lá Henry voce deve tá com fome, pega alguma coisa na cozinha e vai comer.
H: doke, EU sei que eu sou uma.
Do: *olha pro livro e ve ele meio caído Você olhou minhas coisas né?
H: sim.
Do: hmph...
H: *vira pro lado e pega o livro da estante
Do: *lendo
eai, o que vai fazer com essa informação?
é Henry você é uma raposa.
H: o que aconteceu com a minha família
Do: eu ainda não posso te contar *joga o livro no chao
o reino não deixa-
H: dês de quando a gente tem um reino?
vocês nunca me contaram nada mano
Do: Henry, isso é coisa de 10 anos atrás, você não vai querer sbar
H: QUANDO EU TINHA 2 ANOS?
Doke, a minha infância foi só apagada e eu não posso saber de nada....
Do: sua infância foi comigo, e você deve lembrar disso
H: E ANTES DISSO?
eu não vejo duas cabras parirem uma raposa
você nem lembra quando eu nasci né?
Daqui a 2 semanas é meu aniversário, você lembra? Do: ... ffff Henry o importante é que somos felizes ago-
H: é tudo sempre a mesma coisa eu queria sair e fazer aventuras mas você sempre fala que se eu me distanciar eu posso ser sequestrado ou sei lá eu sou um fugitivo por acaso? *sai pela porta da cozinha
Do: ...
[eles moram no topo de uma cachoeira, inclusive]
H: *na ponta da cachoeira pensando
...
*pega um ukulele de um lugar ali perto
Dó Ré Mi Fa...
Do: HENRY
H: que foi agora
Do: você ainda quer conversar sobre...
raposas?
H: não, quero conversar sobre o que houve 10 anos atrás
Do: Henry SE VOCÊ FUGIR TUDO VAI-
H: TUDO VAI? ? ? ? ? ? ?---
uh-
*escorrega da pedra e cai da cachoeira de 1km de altura
Do: HENRY
...
H: AAAAAAAAAAA
**
H: .........
*levanta
aaaah
??: *olhando pra ele
Ih ala, macaco novo na área...
H: AAAH
quem é tu
??: quem é tu né eu so te vi caindo igual a maçã na cabeça do isaac newton e tu vem me perguntar quem sou eu?
H: é o que?
L: vai, levanta dai da agua que ficar com a bunda molhada em pleno inverno não vai ser muito legal. Meu nome é Lusk. mas pode me chamar de...
*faz umas pose mt aleatória
LUSK!
H: .-. ok confesso que estou indeciso sobre qual dos dois te chamar
L: HÁ AGORA QUE NAO TEM DUVIDAS SOBRE QUEM EU SOU.... quem é você
H: meu nome é henry, eu caí porque eu tropecei e eu venho de uma família de cabras
L: hmmmmm. *coloca a mão no queixo em posição de análise
olha eu não sou nenhum profissional em biologia mas... suas orelhas e cauda não condizem com as de uma cabra...
H: valeu aí médico do SUS
L: nada
mas aí não seja por isso, venha conhecer a vila a menos que queira ficar andando na cachoeira até a conta de agua da terra chegar
---um tempo depois---
**os 2 andando na vila
L: então quer dizer que você é uma raposa?
H: uhum
L: e você caiu do ceu?
H: uhum
L: e você...
H: sim.
L: ok. tendo em vista tudo isso eu vou me apresentar
EU SOU LUSK O GRANDE
**passa uma bola de feno
H: ah sim....
L: MAS EU NÃO TE MOSTREI A MELHOR PARTE
*junta as mãos e levanta uma grande ventania pra cima do henry
H: *coloca a mão na cara
é assim que vocês cumprimentam as pessoas por aqui?
L: na maioria das vezes
H: entendi
**corta pros 2 andando pela vila
L: olha só eu tenho que dizer pra você tomar cuidado quando anda comigo, muitas pessoas me conhecem e eu sou muito famoso ok? **os 2 tão passando numa vendinha
L: OLA MEUS FÃS
Mta gnt: FÃ O CACETE! OU SAI DAI! PARA DE GRITAR EU QUERO DORMIR!
H: realmente eles te amam
L: viu? *cai um tomate na cabeça do henry
Pessoa que jogou: *fecha a janela
L: EI NÃO ENCHE OU EU ARRANCO A SUA CARA FORA!
caham, onde a gente tava? falando nisso? Tu é uma raposa?
H: uuuh, sim?
L: ah legal, é que eu nunca vi raposas por aqui
H: e você já viu raposas?
L: quando eu morava no reino e não aqui na vila
H: hmmm, e como é lá
L: olha, cara, confia em mim, é melhor a gnt não conversar sobre aqui.
H: ?
L: depois te conto. ENFIM, não é todo dia que se cai de uma cachoeira, conta mais sobre a sua cara H: ele parece nunca ter visto um ser humano antes Hmmmmmmm... eu... eu tava conversando com o Doke
L: e quem é o brother
H: ele é tipo meu pai só que não é meu pai saca
L: Não.
mas enfim pelo visto você me entende bem
mas e agora, o que pretende fazer agora que caiu aqui em baixo?
H: ... eu acabei de acordar então eu tô com fome
L: COMO ASSIM VOCE ACORDA 17H MANÉ
H: ue *vira a cabeça e olha pro lusk
L: VOCE DORME MAIS QUE UM HOMEM ANIMADOR DE FÉRIAS
CACETES
mas confesso que não comi nada até agora também...
*bota a mão no bolso e puxa umas moedas
mas eu acho que dá pra comprsr um ramen pra você
H: seriao? não precisa cara
L: mas eu quero.
H: ah então eu não posso fazer nada
então onde q a gnr compra
L: na loja do seu Imura claro
H: Imura?
L: ele é um cara elegante, relaxe
H: :0
**um tempo depois
L: *abre a porta do lugar
(o cenário é um lugar pequeninho onde tem um teto transparente com folhas por cima [o tamanho é tipo do ichiraku mas maior])
*da um socão na mesa
AE TIO O QUE TEMOS PRA HOJE
**vem do além um hashi voador
L: *segura ele com os dedos
??: *poe uma tigela na mesa
E O QHE TEMOS PRA HOJE
L: TIO IMURAAAAAA
Im: Olá.
o que comerás hoje caro MENINO!
L: uuuh o de sempre mas não vou ser eu quem vou comer
eu trouxe um cara
H: oi
Im: ... MENINO! OLA PRAZER
*aperta a mão do Henry
H: uuuh
Im: SEJA MUITO BEM VINDO AO IMURA CAFÉ ONDE VOXE PODE COMPRAR QUALQUER COISQ QUE QUEIRA COMER
L: até pedra
Im: XIM MENINO!
*olha direito pro henry
...
Uma rapoja por aqui... estranho... onde é que o luxk axou exe menino...?
TOME
*coloca ramen na mesa e da os hashis pro Henry
H: valeu, velhote
Im: Ei Luxk precisamos convexar
L: *desce da cadeira e vai pra trás do balcão
*vai lá pra trás
H: *consegue ouvir um pouco abafado
Im: voxe nao xoube que o guarda real malhuco vira hoje?
L: guarda?
Im: nós xomos rivais então elex prometeram mandar uma menxagem hoje..
E XE VIREM UMA RAPOJA O QUE FARAO?
L: tem razão velhote
H: ...
*mini flashback
Do: Henry o reino ele pode ser muito perigoso para raposas nós não podemos nos arriscar assim...
...
L: voltei Henry
H: terminei de comer, muito obrigado cara
L: *barriga ronca
*da o dinheiro pro cara
Im: ... o que voxe vai querer?
L: mas eu não tenho mais dinheiro
Im: o do MENINO é de graxa voxe é o único que paga aqui
L: OOOOOOOO
**um tempo depois um pouco de noite
L: estou cheio cara
H: to vendo
L: mas nós temos que conversar mano
H: hm?
L: acontece que um cara sinistro vai aparecer aí daqui a pouco então nós temos que...
*lembra doq o Imura disse
Im: eu irei abrigar vocês. então venham para cá amanha
L: nos refugiaremos na casa do Imura
H: tranquilo então
L: espero sair vivo dessa...
H: mas aí você não me mostrou sua casa você tem casa não é?
L: Nao, EU sou um mendigo.
H: que bosta hein
L: É OBVIO Q EU TENHO CASA MANE
H: la você me explica direito tudo
**chegando na casa do lusk
[é uma quitinete meio desarrumada com um banheiro e um sofá e uma mesa]
L: *mexe debaixo do sofá e pega um mapa enrolado
*vai em direção a mesa e estende ele lá
aqui é o reino de Valdehalle
*aponta um pouco do lado
aqui é Heartville, onde a gente tá
H: e essa neblina aqui?
L: sei lá eles chamam isso aí de reino da neblina oculta
dizem que são uns caras que vão contra o reino
H: ...
L: vai entender né
H: *levanta
a gente tem que acordar cedo amanhã pra poder ir pra casa do Imura se der tudo certo a gente sai dessa tranquilo
L: o que vc planeja fazer você só caiu aqui você não consegue voltar?
H: eu caí aqui em busca de informações sobre mim mesmo
e pra descobrir coisas que meu pai não pôde me contar
L: ...
H: vai que a gente muda algo né?
L: *da um leve sorrindo
olha, amanhã eu irei te acordar SE VOCÊ NAO ACORDAR EU TE CHUTAREI
H: tá bom pedro cara feia
**no dia seguinte
.. L: ACORDA MARILENE QUEM GANHA DINHEIRO NA CAMA É
H: ja acordei... o que você ia falar
L: hm? testador de colchão claro todo mundo sabe que quem ganha dinheiro na cama é testador de colchão
H: ah sim...
L: *pega o mapa
VENHA
**os 2 saem na direção do Imura Café
L: *ve os moradores com armas andando por aí
..... hoje não é um dia bom
H: ....
**vão andando na espreita
H: pq a gnt tá se escondendo
L: pq se nos virem vão mandar a gente ficar com alguém que a gente nao quer então trate de se esconder
H: *entram num beco
??¹: *vê cauda do Henry
*vai em direção ao beco e olha
hmph, deve ter sido impressão
H e L: *chegam no Imura Café
H: *bate na porta
Im: MENINOS! Ah que bom que extao aqui
entreis
**os 2 entram
**ouvem algo explodindo
Im: elex ja devem ter chegado
oh não
H: isso é um problema
L: ugh
H e L: *se escondem na cozinha
??²(um guarda aleatório do reino): PROCUREM EM TODAS AS CASAS eles devem estar por aqui
eles não pagaram o que deviam
e tem uma raposa aqui você diz?
??³: é-é sim senhor!
....
??²: hmph...
PROCUREM EM TODAS AS CASAS!
H: °°
??⁴: *bate na porta da casa do Imura
TRM ALGUÉM AÍ
SE TIVE DIGA AGORA!
Im: .... isso é um problema
??⁴: ABRA EU SEI QUE TEM ALGUÉM AÍ
*bate mais forte
Im: me dexculpe meninos já volto
uuh sim?
??⁴: TENS UMA RAPOSA AI QUE EU SEI
Im: nao tem nada aqui
??⁴: EU ESTOU SENTINDO MANA E NÃO É A SUA
Im: uuh relaxa, não faz sentido querer procurar num restaurante
EU SO ESTAVA AQUI QUANDO COMECOU ESSA INVASÃO
H: voce notou isso?
L: o que
H: o Imura nao tá falando errado...
L: isso é alarmante...
??⁴: *quebra a porta do restaurante
me mostre.
Im: me desculpem
*junta as mãos
*levanta umas pedras do chão
??⁴: *defende com as mãos
... me deixe passar
*explode tudo
H e L: °°
*se escondem um em cada armário do restaurante
??⁴: não devem estar aqui
DEVEM ESTAR AQUI PERTO PROCUREM!
L: vem, Henry temos QUE-
*congela na saída
....
H: o que fo-
L: i-i
**veem Imura no chão e tudo destruído
L: ........
H: ah não...
....
continua no próximo episódio :D ep 2 Rivais de Reinos diferentes, o mais forte prevalece...
submitted by henrylore to Najiyu [link] [comments]


2020.09.05 02:17 rVonyon Sou novo no sub

Olá, sou novo no sub e queria me apresentar. Sou conservador de direita, pai de família, assovio no escuro para espantar o curupira, tomo banho gelado 10 vezes ao dia, bato no vidro pra assustar o sorvete, assisto Peaky Blinders todo dia da primeira temporada até a última, durmo no cinema, grito na igreja, almoço virado para a parede, uso biokinesis pra virar macho alfa, desço montanha e escalo ela todo dia em 5 minutos, bato na esposa, leio clube das 5, sou dono da página Orgulho de ser Hétero, ouço ondas Gamma enquanto durmo, tomo café gelado sem açúcar, faço teste de QI na internet, estou no No Fap desde que nasci, ajudei minha mãe no parto do meu irmão mais velho, leio 60 livros por dia, pratico roleta russa com o meu cachorro, MGTOW, Brain Force, pratico telecinese, sei dar salto quântico, 190 de QI, sei mexer o pau sem piscar o cú, tenho uma placa de metal na parte frontal do cérebro que impede de eu ser emocional, jejum 24h, faço treino saitama desde os 5 anos, sou apoiador do Lord Vinheteiro, violinista prodígio, deixo música clássica no alto, enema de café, consigo manipular qualquer um encarando, sou frio e calculista, odeio mulheres que usam decotes, vou no bar 78 vezes por dia, O senhor é o meu pastor, medito 10 horas ao dia, jogo poker apostando meus filhos, fumo 3.000 cigarros por semana, erro 99 vezes propositalmente só pra acertar na última, sou perito técnico nas expressões faciais, utilizo o método do palácio mental, assisto Copini desde o lançamento do canal, tenho 854 amantes e nenhuma delas sabe que eu sou gay, sou um mestre da dedução, vou para a igreja só pra tomar café, já matei o Nego Ney com uma carabina de pressão 5.5 encima de um prédio de 38 andares, gosto da página CBM mas odeio por ser socialista, INTP-J, acredito em pseudociência, matei o coronavírus apresentando o meu histórico de atleta, corro de crocs do Acre até o Rio de Janeiro todo dia, sei falar em autotune, ando armado fingindo ser polícia pra ganhar abraço de criança, sou filho de anjo e demônio, faço projeção astral pra comer a vizinha enquanto ela dorme, odeio jovens, durmo no chão para consertar a postura, Pablo Escobar deixou a chácara dele de herança pra mim, nunca torrei um x9 propositalmente só pra estragar a música, sou conhecido como Diabo Branco, já fiz tráfico humano, passei mais de 200 toalhas no pau só pra ser o dono e mijo no guarda-roupa do meu funcionário para demitir ele logo depois. Posso ser adm?
submitted by rVonyon to copypastabr [link] [comments]


2020.08.27 20:40 DorivalMelo Se aproveitando do Nerd

Eu estava numa pracinha não tão longe de casa numa tarde com amigos me divertindo, já esta a escurecendo quando meus dois amigos falaram que ja iam, mas eu resolvi ficar porque gosto demais daquele lugar, então, fiquei e eles voltaram pra casa deles... ja sozinho ali, eu comecei a malhar, nisso chegou dois caras, que eu pensei que eram amigos, mas não, eles apenas chegaram ao mesmo tempo perto de min e puxaram assunto, nisso eu percebi que eles também apenas não queriam ficar sozinhos, então aceitei numa boa e começamos a malhar juntos ali, na zueira, muito mais rindo que malhando, nisso eu percebi que uma garota não muito longe estava a nos observar e que por algum motivo, me fixava demais, fiquei envergonhado porque não tenho sorte pra isso, e ela é bonita, então tentava não olhar muito tambem, mas aquilo focou me incomodando, até que ela chegou em nos e começou a puxar assunto falando que queria malhar conosco mas não sabia nada, nos 3 levamos na brincadeira, então ensinamos ela um pouco dos exercícios que estávamos a fazer na brincadeira porque de serio não tinha nada, nisao eu não sei se ela fazia de propósito ou realmente não tinha forças, mas ela demonstrava não conseguir fazer uma flexão na barra, até aí beleza, mas ela queria porque queria fazer pelo menos 10 repetições, beleza né, nisso o mais fotinho entre nós 3 estava a ajudar ela segurando e espirrando na sua cintura, enquanto eu e o outro rapaz mais magrinhos apenas olhavam e soltavam sorrisos, não dela em si, mas de tudo o que estava ocorrendo ao nosso redor em geral, até que ela começou apenas a querer estar ao meu lado, conversando apenas querendo segurar em meu braço, me encarando muito mais que eles dois, nisso minha mente já criava expectativas, até porque de todas as meninas que já gostei, nenhu.a me deu muita atenção como realmente gostaria, e as que deram não passou da amizade #friendzoneforever , nisso eu ja estava a me iludir, beleza, mantive o pensamento firme e fingi ser mais tapado do que já sou por precaução, nisso ela começou a apostar com eles dois, principalmente o mais fortinho, pois a aposta era que se eles fizesse X flexões, ele podia beijar ela, já se ela conseguisse fazer tantos agachamentos, ele e o outro teriam que beijar uma suposta amiga dela sentada no banco ao lado nao tão longe, e tudo isso ela colada em min a me encarar, beleza, porem assim que eles ficaram cochichando entre eles dois, ela me puxou pelo braço, e a uns 3 passos de distância deles, ela me encarou bem nos olhos, e quando pensei que iria finalmente entrelaçar meus lábios com o uma garota novamente depois de 2 anos, ela me solta na cara dura que queria ficar com um deles e queria que eu ajudasse ela, a desculpa dela foi que ela viu que eu parecia ser mais gente boa, e por isso, sendo amigos deles, ela daria uma amizade comigo apenas pra ficar com eles, e sim, não só 1 deles, mas ela queria ficar com qualquer um deles que não fosse eu.... né... nessa hora minha mente já estava a explodir de tanto pensar, confuso, perdido, sei lá... so nao estava acreditando que ela me usou apenas para chegar neles, sabendo que agente tinha acabado de se conhecer entre nos 3 ali também, tipo, nem "amigo" agente era ainda, mais bom... depois que terminaram a aposta ela ficou com o outro que era magrinho igual eu, pois o fortinho tinha ido embora, mas falou na cara dura que no outro dia ia ficar com sem problemas, e já quando chegou em min novamente, chegou falando com um tom diferente de voz, eu ali igual um bobalhão, só escutei ela falar que tinha uma amiga que queria ficar comigo, e nisao eu me alegre né, até pq ja tinha visto as amigas dela e sim, eram bonitinhas sim, pra quem não faz nada a 2 anos, ainda tenho noção de beleza sim, eu acho... mas ela havia tido que essa suposta "amiga" tinha acabado de chegar, tranquilo, levei na boa, já com um sorriso no rosto apenas perguntei quem era, e ela me apontou na direção onde tinha 2 garotas e um carinha, e nisso fiquei feliz pq as 2 garotas eram bonitinhas, mas ai ela me puxou de novo e perguntou se eu tinha preconceito e coisas do tipo, nisso eu olhei de novo na direção, e percebi que na verdade quem queria ficar comigo era o carinha... aff... não falei nada, apenas peguei meu skate e sair dali puto da vida kkkk...
Essa foi minha primeira história que aconteceu a 3 semanas ja e que estou acontar aqui pela primeira vez, haverá outras, pois minha vida mais parece um filme de comédia aff...
PS: "As meninas que me conhecem sempre me falaram que eu tenho um "chama" pra pessoas do meu mesmo sexo, sendo assim, elas me falam que nasci pra ser um deles e aceitar meu destino..." Quero nada kkkk....

nhaa nhaa #quartasreddit #Lubatv #dorivallifestyle

submitted by DorivalMelo to u/DorivalMelo [link] [comments]


2020.08.26 15:16 Hevellyn1235 Sou babaca por sentir saudades do meu irmão por parte de pai?

Olá turma, Lubixco ,papelões falecidos, Galadriel , Misty,editor e qualquer ser que tenha vida..
Bom,tudo começou no ano 1998, meu querido pai conheceu uma mulher,eles foram conversando,se gostaram,namoraram e meu pai engravidou ela. A mãe desta mulher (avó do meu irmão) não gostava do meu pai, não Fasso a mínima ideia o porquê. Então ela (a veia) falou para meu pai que ele NÃO IA TER CONTATO NENHUM COM O FILHO DELE, ela surtou de vez ali kkk,e também ela não deixou meu pai registrar ele. Até ai OK,a velha forçou a filha dela (mãe do irmão) se mudar, para o Rj (sou de Minas Gerais). Ela se mudou, meu pai conversava com ela pelo celular escondido da velha é lógico.
O bebê nasceu, o pai não pode estar presente. 
Então em 2004 meu pai conheceu minha mãe,eles começaram a namorar,em 2006 casaram, e em 2007 eu nasci. Alguns anos se passaram,meu pai consegui contato com meu irmão, eles conversavam normalmente.
Ai veio 2013,minha outra irmã nasceu,e neste mesmo ano fui visitar meu irmão. Ok, fomos eu e pai de trem (o mlk tinha se mudado pra ES), passamos 3 semanas,foram as melhores semanas da minha vida inteirinha,eu finalmente avia conhecido meu irmão. Dia 15 de Setembro de 2013 último dia que vi meu irmão, este ano completa 7 anos sem ver ele,parece que falta uma parte de mim kk. Em 2016 enquanto meu pai conversava com ele,ele falou assim: :"VOCÊ NUNCA FOI UM PAI PRESENTE", "AGORA VOCÊ ME PROCURA" "EU CRESCI SEM UM PAI", " QUANDO PRECISEI VOCÊ NÃO TAVA",essas coisas de adolecente revoltado,MAAS ele não sabia da história da velha, que ela tinha proibido meu pai de ver ele e os caralho de quatro. O menino surtou legal, falou que era tudo culpa minha,que era eu o motivo de tudo e tals, olha só kkkk e nem existia na época dessa treta!!... Ai ele falou um monte de mim,da minha mãe e minha irmã. Nunca mais nos falamos,tenho o número dele,pois a MÃE dele me passou,falou q era uma boa eu chamar ele e tal,ele me bloqueou no insta,face, em tudo (de menos no whats) não tenho coragem de chamar. Sinto uma raivinha dele sim,ele foi um idiota, babaca por falar um monte de merda pra mim, me chingar. Mas eu ainda amo ele tendeu?É sangue do meu sangue,eu fico com um nó na garganta por não ter contato mas OK.
Então turma,foi isso, espero que alguém leia e que eu não tenho escrevido isso atoa kkk,pois é um assunto que não gosto de falar.
Um Beijo e tchau.
submitted by Hevellyn1235 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.22 03:36 RagingRope Pq é que é quase impossível pedir nacionalidade Portuguesa como descendente

Pq é que é quase impossível pedir nacionalidade Portuguesa como descendente
Bom dia,
Isto é quase mais um mini-rant do que uma pergunta, mas primeiro algum contexto.
Nasci nos EUA e sou filho de português, e estou em cá Portugal como turista (e pra renovar o meu visto). Iniciei o processo de pedir a cidadania há mais do que um ano, pedindo cidadania como descendente.
  1. O consulado Português da minha zona dos EUA já não aceita pedidos da cidadania. Mas, ao mesmo tempo não posso pedir a um concelado que não é da minha região.
Tinha boa sorte. Já ia-me mudar pra cá, mais vale tentar em Portugal em si. (Mas que se fodem os filhos de Portugueses sem dinheiro para voar 8,500KM e ficar cá vários meses, né?)
  1. A informação online é confusa e difícil de encontrar.
Muitas vezes só está disponível em Português com letra técnica. Algo que luso-descendentes que até falem português vão ter dificuldade a entender sem fazer a educação cá.
  1. Não há coordenação nenhuma entre os Registos e consulados.
Os Registos ainda pedem que papeis sejam certificados por um consulado quando eles já não fazem isso há anos.
  1. É extremamente difícil contactar os Registos.
Só há uns poucos Registos com balcões de nacionalidade. E depois de iniciares o processo com um, só podes contactar esse balcão para informação. Eu fiz com os Registos centrais. Antes do COVID, havia uma filha com 75 pessoas já 40 minutos antes de abrir, e estavam cheios para o resto do dia entre 10 minutos depois de abrir.
Agora com COVID só podes ir lá com um agendamento. O próximo tempo disponível? Em dezembro. Se eu estava cá como turista, o meus 3 meses de estar aqui há espera já tinham expirado.
O! Mas espera! Podes telefonar aos Centrais e enviar um Email! Espera.... já falo sobre isso.
  1. Incompetência completa.
Depois de esperar um ano recebi um email um mês atrás. (O segundo email que já recebi sobre o processo. O primeiro foi há 5 meses a confirmar que receberam mais do que 6 ou 7 meses depois de enviá-los a papelada) O meu pedido foi posto em pausa. Querem mais informação, e se não recebem entre 6 meses o pedido vai ser rejeitado.
Ok. O que querem?
QUEREM QUE A MINHA CERTIDÃO DE NASCIMENTO TENHA UM DECLARANTE.
Não há declarantes nas certidões no estado onde nasci.
Telefono. Nada. Diz que há pessoas de mais na filha de espera. Telefono mais do que 10 vezes ao longo do mês. Nada, sempre nada. Tento enviar um email aos centrais, e reparo que eles nem responderam ao meu email de há 4 meses sobre um número no meu endreço estar irado. Envio há mesma, duas vezes. 3 semanas depois, ainda nada. Envio emails aos outros balcões em Portugal. Eles dizem para falar com os Centrais.
Finalmente reparo que há um número que não está listado online no rodapé de um dos emails. Telefono. É como se deus respondeu. "Boa tarde, conservatória dos registos incompetentes" "A, o senhor tem que telefonar ao número principal para ajuda com assuntos" "É assim, se há mais do que 100 pessoas na filha de espera, diz que..."
https://preview.redd.it/q3yp1z6wegi51.jpg?width=354&format=pjpg&auto=webp&s=e2594740e3686912337de04d787c8f7c90ad1706
Telefono ao número ofícial mais uma vez. Na melhor sorte da minha vida, o robo dos centrais não me rejeita. 1-2 horas depois finalmente falo com alguém e explico a minha situação. Vai mais ou menos assim.
"Tem que ter um declarante"
Isso não existe lá, como podem pedir algo que obviamente não existe lá
"Tem que ter, pede uma cópia do livro de nascimentos"
Estamos em o que? No século MDC? Pedes cópias oficiais online, e o meu é oficial. Simplesmente declarantes não existem.
Posso ter o meu pai assinar uma carta notorizada dizer que sou o filho dele
"Não, tem que pedir uma certidão oficial..."
Mas isso não existe lá, é possível continuar com o processo sem isso
"Nós não temos poder de diçizão, vai ter que falhar com os Centrais diretamente por email ou por um agendamento em pessoa"
Então quem são vocês...? Se envio um email só vai ser resposto depois do processo ser rejeitado em 6 meses, e em Dezembro só vou ter 1 mês pra tratar da merda que eles vão quer. E visto como tudo é lento, incorreto, e difícil de encontrar, não vejo como isto seja possível.

Agora vem a minha pergunta. Como é que o país que precisa que a população não decresce mais do que sempre, o país que supostamente faz tão fácil (comparado com outros europeus) para imigrar que ucranianos vêm do outro lado da Europa, o país que até tem um programa dedicado a regressar para portugal faz quase impossível para nós conseguimos nacionalidade portuguesa? E alguém conhece uma maneira mais fácil de lidar com isto?
submitted by RagingRope to portugal [link] [comments]


2020.08.17 20:30 LukeLukeLukeRJ Amo meu país, odeio minha cidade.

( eu vou pegar pesado, esteja de aviso )
Eu amo muito a minha pátria. Não entendo como tantas pessoas preferem ir a europa ou america do norte invés de apreciar a beleza e cultura da própria terra, quando eu puder, irei a todos os cantos do Brasil. Mas infelizmente eu fui amaldiçoado quando nasci nessa cidade amaldiçoada por Deus. Eu odeio o rj com todas as minhas forças, sabe os estereótipos de que o rio é um grande favelão cheio de gente nojenta com tiroteios 24hr por dia? É tudo verdade. Esse lugar é repulsivo. Tem lixo jogado em todas as esquinas, despacho de macumba em tudo quanto é bairro e nada nessa merda presta, desde transporte as próprias pessoas. Carioca é um povo arrogante, fedorento, egoísta e mesquinho. Não existe uma só pessoa aqui que vai hesitar em pisar em você se isso lhe der vantagem, sei porque nasci e convivo com essa gente, minha gente, a 19 anos. Uma punição que não acaba mais; ciclo interminável de castigo e desgosto que sinto toda vez que piso fora de casa. Não só dessa gente imunda essa cidade vive é claro, a própria terra despreza esse lugar. O calor insuportável do verão te deixa todo grudento de suor até durante a noite, o inverno te deixa gribado e sempre que chove a cidade se desintegra, tudo para de funcionar por semanas e nada se fala além disso. Quanto a primavera ou outono esqueça, aqui ou é o sol rachando ou chuva interminável que acaba com tudo devido a infraestrutura de merda desse lugar. Se você tem a chance de nunca pisar aqui, então não faça. Vai ser sua perdição. Passe longe dessa merda.
submitted by LukeLukeLukeRJ to desabafos [link] [comments]


2020.08.08 19:18 Afroditecoffee Sou babaca por não querer tirar um carro no meu nome para meus pais?

Oie turma, não vou me estender na introdução pq é uma longa história e eu não sei o que fazer Bom eu nasci com um problema de saúde e isso me dá alguns direitos como pessoa deficiente físico. Por nascer assim meus pais se casaram p cuidar de mim, mas não por amor a mim ou a eles mesmos e isso sempre foi claro em casa. Eu me tornei influente no meio da minha doença sendo escritora e palestrante aos 15, hoje tenho 21, sempre sendo aplaudida pela família incrível mas não é a realidade. Não posso sair de casa (antes da quarentena), meus amigos não tem permissão p vir aqui, tive 1 namorado e já usaram ele de ameaças contra mim como " Se vc não me obedecer vou quebrar a moto daquele garoto e vc nunca mais vê ele" entre outras coisas. Hoje faço faculdade com muita ajuda para conseguir uma bolsa 100% já q meus pais nunca se propuseram a pagar, no dia do vestibular eles não queriam me levar ou deixar eu ir de ônibus ou uber. Enfim meu pai é o único q trabalha e minha mãe recebe um auxílio do governo (Q na vdd é meu) e hoje temos uma casa própria, um carro q foi comprado a 3 anos atrás e uma moto. Quando fiz 18 anos eu sugeri ganhar a carteira de motorista para tirar um carro no meu nome já q sairia da concessionária 0 e com as adaptações além dos benéficios de não pagar algumas coisas. Eles ignoram e pegaram emprestado mil reais cmg p comprar o carro novo. E essa semana meu pai me mandou um email mandando eu buscar as documentações necessárias para tirar o carro 0. Fiquei em choque, eu não sabia da ideia, e hoje tenho consciência de que eles não são pais de vdd, não acho justo comigo e minha doença usar para beneficiar. Hoje faço algumas fotos e vídeos p pessoas com minha doença se motivaram a viver e nessa mesma semana pedi uma câmera p gravar e tirar fotos, a mais barata de 50 reais e é algo impossível de me comprar, gritaram cmg pelo pedido, mas um carro no meu nome é possível? Parece injusto, como conheço pessoas q trabalham nesse meio de doenças fiquei de procurar mas ñ fiz no dia pq queria passar na psicologa antes (eles não pagam meu tratamento e medicações, já q faço parte de uma associação q nos ajudam) e quando falei para meu pai que "eu vou ver" (sobre o carro ) foi uma gritaria "E FOSSE P VER EU MESMO FARIA , NÃO ESTOU FAZENDO ISSO POR MIM E SIM POR NÓS " Meu pai gritou, engoli a seco. Estou cansada demais deles, estou me sentindo usada e queria simplesmente sumir. Não recebo amor e sou impedida de realizar as coisas mesmo sendo capaz, já viajei sozinha de avião a trabalho p palestrar e nada nunca me aconteceu mas atravessar a rua é algum incabível. Além de minha mãe já ter me machucado e viver rindo dizendo 'Que vontade de enfiar a mão na sua cara' ,eu hoje desejo q ela faça para que consiga provar o q está acontecendo... Não consigo deixar de me sentir mal pq ainda são meus pais e ñ sei se sou babaca por não querer um carro que não vou usar já q não posso sair nunca...
submitted by Afroditecoffee to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.05 20:44 Next-Jackfruit-1918 Violação

Eu tenho 16 anos, fui pela primeira vez a sério ao ginecologista porque comecei a namorar, queria saber se estava tudo bem, tirar algumas dúvidas, pedir a pílula, coisas normais que se deve fazer. Eu queria escolher a ginecologista onde ia mas a minha mãe obrigou me a ir ao ginecologista dela, disse me sempre que ele era um excelente médico, que foi o médico que a acompanhou quando ela estava grávida de mim e quando eu nasci. Por isso não tive opção, tive de ir ao médico dela, fui a uma primeira consulta e já não me senti bem, não gostei dos olhares, não gostei de ser um médico homem, não gostei da forma que me examinou.....contei isso a minha mãe ela disse que eu estava a fazer filmes para chamar a atenção, e para poder escolher eu a médica que quisesse, não me deixou trocar e não fez nada...uma semana depois o médico ligou a minha mãe, disse que se esqueceu de fazer um exame importante, que eu tinha de la voltar, a minha mãe obrigou me a ir. Desta vez a consulta era no consultório dele, não era no hospital, quando eu cheguei ao consultório já achei tudo muito estranho, não estava lá mais ninguém, nem rececionista, nem pacientes, ninguém...quando entrei para a consulta, ele nem falou comigo, mandou me tirar a roupa toda e deitar na marquesa com as pernas nos suportes, fiquei aflita, não me sentia bem com isto, mas tive de o fazer, quando acabei de me deitar, apareceu um outro médico, tentei tapar me o máximo que consegui mas ele veio em direção a mim e amarrou as minhas mãos e colocou me um pano na boca, e o outro amarrou me os pés, o médico da minha mãe virou se para o outro e disse: “Vês! Eu disse te que está valia a pena! Está ainda está apertadinha”. Não consegui fazer nada, não me conseguia mexer, não conseguia gritar, eles violaram me, por quase uma hora...tiraram me o que eu tinha de mais valioso, a minha virgindade, a minha inocência...a vez violavam me tanto na minha vagina como na parte de trás, quando acabaram disseram me que se eu abrisse a boca ninguém ia acreditar, que eu era uma miúda e eles médicos conceituados, não havia testemunhas, e que a minha mãe o conhecia bem, que ela nunca ia acreditar na minha história, e que ainda por cima como a minha mão não ia acreditar ele continuaria a ser meu médico é que me ia violar as vezes que tivesse vontade, e que tinha muitos mais amigos com vontade de me conhecer. Ele tinha razão, ela já não tinha acreditado antes, não ia acreditar daquela vez, eu vesti-me sai de lá a correr e fiquei calada, não contei nada, tudo isto aconteceu ha 6 meses. 2 meses depois de tudo acontecer, eu descobri que estava grávida, nesse momento eu tinha de contar a verdade, a minha mãe não acreditou em mim, chamou me de vagabunda, puta, oferecida, e ainda foi falar com o meu namorado que também não acreditou em mim, e que acabou tudo comigo, chamou me de puta, traidora, porca, disse que foi bem feita por ir para a cama com outros enquanto não era capaz de ir para a cama com ele, a minha mãe não disse nada ao médico, e expulsou me de casa, no dia que me atirou tudo porta fora disse que se eu era crescida o bastante para abrir as pernas e deixar fazerem me filhos, então também era crescida o bastante para me virar sozinha. Que ela na cria uma prostituta em casa. Tentei ir a polícia, mas quando a polícia falou com a minha mãe ela disse lhes que era um disparate, que ela conhecia o médico há anos, que eu estava a inventar a história porque tinha traído o meu namorado e me tinha corrido mal, a única coisa que a polícia me disse foi que era muito feio mentir e fazê-los perder tempo, mas que desta vez não me acontecia nada. Nunca acreditaram em mim nem por um segundo, tentei que fizessem testes de adn, riram se na minha cara e disseram-me que se eu continuasse a insistir na história, ia presa por difamação,perturbação e falso testemunho. Não tive outra opção senão desistir. Tive de abandonar a escola, consegui um trabalho que mesmo em meio da pandemia consegui manter, faço entregas de uma mercearia. Não é fácil, não só porque não é o que sonhei para mim, mas também porque toda a gente me olha como se eu fosse uma prostituta. A dona da mercearia a muito custo me arranjou um lugar para ficar, vivo na garagem da mercearia, não tem luz, e água só do lado de fora, mas pelo menos tenho um teto coisa que não tive durante 2 meses. Ganho muito pouco e com um bebé a crescer na minha barriga e sem estudos mais ninguém me dá trabalho. Junto cada cêntimo para comprar o que posso para o meu bebé. Toda a minha família, as pessoas que se diziam minha amigas, toda a gente me abandonou, quando alguma delas me vê na rua, ri-se de mim, comenta para o lado e muda de lado da rua. Eu nunca menti, aqueles canalhas violaram me e engravidaram me, e não lhes vai acontecer nada, e o pior é que eu tenho a certeza que já o fizeram antes e que o vão continuar a fazer, mais e mais mulheres/jovens/crianças vão ser violadas por eles e provavelmente vai continuar a não acontecer lhes nada, enquanto eles vivem felizes as vidas miseráveis deles, eu vivo numa garagem sem luz, com água só do lado de fora, a ter de fazer as necessidades num balde, porque só ganho 250€ por mês e não tenho dinheiro para ir para outro lugar, mal tenho dinheiro para comer, e pouco que tenho uso para comprar tudo o que meu bebé vai precisar, sofro porque não sei como vai ser quando ele nascer, não sei se vou conseguir pagar o parto, não sei se mo vão tirar por falta de condições, não sei se me vão meter numa instituição porque vão perceber que não tenho ninguém, não sei se vou ter vida daqui a 16 semanas quando o meu bebé nascer. Eu suporto tudo o que for preciso, mas se me tiram o meu filho, se me tiram o meu bebé eu não aguento, se mo tiram a minha vida deixa de fazer sentido, se afastarem o meu bebé de mim eu vou vingar me dos filhos da puta dos médicos e a seguir eu mato me. Eu não vivo neste mundo nem o meu bebé.
submitted by Next-Jackfruit-1918 to u/Next-Jackfruit-1918 [link] [comments]


2020.08.05 18:29 beqk Sou babaca por excluir meu pai da minha vida?

Oiie ser com vida que está a ler, obrigado por se interessar pelo meu caso :3
Bem, minha relação com meu projenitor e meio complicada. Desde de antes de eu nascer ele já não era um homem com maturidade, sempre bebia todos os dias e até deixava minha mãe sozinha em casa por semanas, mas ele "mudou" e então eu nasci e aí que começou o problema.
Sou filha única, mas sempre foi o sonho dele ter um menino por conta disso ele quase nunca esteve presente na minha infância e sempre me tratou com muita indiferença, (já com meu primo que temos a mesma idade ele brincava de tudo, comprava os brinquedos que ele queria e pra onde saímos ele o levava. Enquanto era comigo parecia que ele fazia apenas por obrigação ou pq minha mãe pedia) tentei ao máximo me "moldar" como um menino (usar roupas mais masculinas, me interessei em futebol, vídeo-games etc) apenas para poder receber ao menos pouco do amor que meu primo recebia, mas ao invés disso ganhava palavras duras e frias parecendo que ele realmente não tinha amor por mim.
Parei de procurar seu amor e me apeguei a minha mãe que me aceitou e me amou pelo que sou, por causa disso eu e ele perdemos a relação pai e filha (se é que tivemos uma em algum momento), raramente dirijo a palavra a ele ou peço algo, não é por rancor nem nada é só que eu não consigo mais vê-lo como um pai no verdadeiro sentido da palavra.
Mas mesmo com tudo isso minha consciência pesa, porque mesmo sendo dessa forma ele continua sendo uma das pessoa que me trouxe ao mundo e nunca me deixou faltar nada, apenas nunca me deu amor e carinho (apesar de já ter dito na cara dele que preferia muito mais ter tido seu amor do que as coisas de hoje, ele apenas riu e ignorou o que eu disse e em todos os meus 16 anos de vida ele nunca disse "eu te amo" apesar de eu falar sempre). Sou babaca por me sentir assim em relação a ele que me deu tudo menos amor e carinho?
submitted by beqk to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.03 03:37 Bored-Shelly Thomas Shelby da modernidade

Olá, sou novo no grupo e queria me apresentar. Sou conservador de direita, pai de família, assovio no escuro para espantar o curupira, tomo banho gelado 10 vezes ao dia, bato no vidro pra assustar o sorvete, assisto Peaky Blinders todo dia da primeira temporada até a última, durmo no cinema, grito na igreja, almoço virado para a parede, uso biokinesis pra virar macho alfa, desço montanha e escalo ela todo dia em 5 minutos, bato na esposa, leio clube das 5, sou dono da página Orgulho de ser Hétero, ouço ondas Gamma enquanto durmo, tomo café gelado sem açúcar, faço teste de QI na internet, estou no No Fap desde que nasci, ajudei minha mãe no parto do meu irmão mais velho, leio 60 livros por dia, pratico roleta russa com o meu cachorro, MGTOW, Brain Force, pratico telecinese, sei dar salto quântico, 190 de QI, sei mexer o pau sem piscar o cú, tenho uma placa de metal na parte frontal do cérebro que impede de eu ser emocional, jejum 24h, faço treino saitama desde os 5 anos, sou apoiador do Lord Vinheteiro, violinista prodígio, deixo música clássica no alto, enema de café, consigo manipular qualquer um encarando, sou frio e calculista, odeio mulheres que usam decotes, vou no bar 78 vezes por dia, O senhor é o meu pastor, medito 10 horas ao dia, jogo poker apostando meus filhos, fumo 3.000 cigarros por semana, erro 99 vezes propositalmente só pra acertar na última, sou perito técnico nas expressões faciais, utilizo o método do palácio mental, assisto Copini desde o lançamento do canal, tenho 854 amantes e nenhuma delas sabe que eu sou gay, sou um mestre da dedução, vou para a igreja só pra tomar café, já matei o Nego Ney com uma carabina de pressão 5.5 encima de um prédio de 38 andares, gosto da página CBM mas odeio por ser socialista, INTP-J, acredito em pseudociência, matei o coronavírus apresentando o meu histórico de atleta, corro de crocs do Acre até o Rio de Janeiro todo dia, sei falar em autotune, ando armado fingindo ser polícia pra ganhar abraço de criança, sou filho de anjo e demônio, faço projeção astral pra comer a vizinha enquanto ela dorme, odeio jovens, durmo no chão para consertar a postura, Pablo Escobar deixou a chácara dele de herança pra mim, nunca torrei um x9 propositalmente só pra estragar a música, sou conhecido como Diabo Branco, já fiz tráfico humano, passei mais de 200 toalhas no pau só pra ser o dono e mijo no guarda-roupa do meu funcionário para demitir ele logo depois. Posso ser adm?
submitted by Bored-Shelly to Copicola [link] [comments]


2020.07.30 22:26 Tecnology14 Parece que minha vida está ruindo

Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Minha história é longa e complexa, então vou dividi-la em sete partes.
Para começar, minha família, principalmente minha mãe, são um tanto abusivos, porém nunca percebi isso, pois antes de fazer meus 20 nunca tive contato com o mundo externo. Pois é, eu estudei em escola pública, me relacionei com outras pessoas, mas nunca fui incentivado a correr atrás das coisas, e nunca tive uma demonstração de confiança da minha família dizendo que poderia contar com eles. Minha mãe sempre conduzia conversas desconfortáveis querendo saber tudo sobre minha vida, e aconselhando, de uma maneira que não me deixava confortável, sobre o que fazer, porque meu pai era passivo. Pelo meu pai ser passivo, ela ficava muito frustrada e transferia essa frustração para a gente. Quando questionada, ela inventava justificativas sem pé nem cabeça para o que fazia. Tive algumas brigas com ela, e muitos desacertos. Ela me bateu por conta de guarda roupa bagunçado, porque ela vigiava meu guarda roupa. Me proibiu de certas coisas por conta do meu desenvolvimento, e acabou que me tornei um rapaz medroso, tímido, com desenvolvimento atrasado. Vida sexual? Iniciei com 20 anos apenas. Vida amorosa, só agora aos 23. A igreja logo se tornou um fardo, pois a gente ia, mas tínhamos que nos comportar da maneira que ela dizia que era o ideal. Aprendi a tocar violão, virou um prazer, mas a igreja também é abusiva, logo se tornou um desprazer que eu saí, que logo depois disso, as cobranças para voltar começaram em casa também. Minha irmã sempre apoiou o que ela dizia incondicionalmente. As fofocas dela contra a gente sempre existiram, do tipo, se contassemos algo para ela, ela saia espalhando por aí, ao ponto de humilhar-nos e expor nossas intimidades.
Depois disso, vi uma pontinha do mundo exterior, quando comecei a me abrir para ele. Fiz amigos, conheci pessoas, me forcei a falar com pessoas, porque eu sou do tipo que não puxava assunto, mas ainda era socialmente inepto como sou. O controle da minha mãe dura até hoje. Conheci uma pessoa com o qual quase tive um relacionamento que achava o meu relacionamento com a minha mãe algo totalmente fora do comum, porque eu não ia nos lugares que eu tinha vontade por medo da minha mãe proibir, por medo dela achar ruim. Percebi que eu cresci com medo, e por conta disso essa pessoa foi embora da minha vida. Conheci um dos meus melhores amigos, e até hoje ele me fala isso, pois vivenciou situação parecida. Talvez eu tenha perdido grandes acontecimentos na minha vida por medo. Mas isso mudou...
Conheci uma pessoa maravilhosa, com quem eu namoro hoje em dia. Abracei um pouco a mudança e sai da minha zona de conforto. Pela primeira vez me arrisquei a não ligar para o que falavam comigo ou do que iriam pensar. Vivo momento incríveis com ela e sei que é o tipo de pessoa que tenho que manter por perto por toda a vida. Mas tenho que inserir aqui uma comparação: se as discussões, brigas, repreensões, abusos haviam comigo, se tornaram piores depois que comecei a namora-la, ela já quase desistiu de namorar comigo por conta da marcação da minha mãe e minha irmã. As coisas foram melhorando um pouco em relação a ela, mas minha mãe continuava pegando no pé, e como ela bebia, as coisas eram ainda mais piores. Bêbados são uma merda e falam coisas sem pensar.
Minha mãe virou uma pessoa insuportável depois que começou a beber, falava coisas e não tinha filtro. Afirmava coisas das outras pessoas que ela nem sequer sabia sobre. Meu pai não aguentou, e foi ficando cada vez mais distante até que um certo dia, no primeiro dia que comecei em um novo emprego, ele saiu de casa e não quer mais saber da minha mãe. A vida pra ele melhorou muito, mas essa separação colocou os holofotes todos em mim. Uma vez que ele saiu de casa, minha irmã saiu também para prestar residência médica.
Depois que meu pai saiu de casa, minha mãe começou a ir na igreja novamente e parar de beber. Mas eis a questão, minha mãe já era uma pessoa insuportável antes de beber, e agora que eu namorava, toda semana eu tinha que ouvir falar mal da minha namorada e foram episódios que cada vez mais foram se intensificando. E eu era julgado por querer passar mais tempo com ela. As coisas ficaram ruins de novo a ponto do meu relacionamento quase ruir, de ela querer controlar até quais dias da semana eu passava com ela e falar mal dela na minha cara. Já não bastava quando eu estava presente.
Nessa terça não aguentei. Já estava muito chateado com toda essa situação e minha namorada a ponto de terminar. Foi só minha mãe vir falar comigo de novo, que daí eu estourei. Falei tudo que estava sentindo, porém foi violento e foi uma cena terrível de ser vista e vivida. E a casa enxurrada de palavras no rosto da minha mãe descia uma cascata de lágrimas. Eu estava com muita raiva no momento. No final de tudo, ela se vitimizou, perguntando porque eu estava fazendo aquilo com ela, me chamou de cobra e me mandou sumir ou ela sumia. Fui deitar naquela noite totalmente entorpecido, quando ela teve um surto psicótico de regredir ao momento que eu nasci. Esse surto durou uma hora, mas foi o suficiente. A nora de quem ela tanto falava mal foi a primeira a chegar para me ajudar.
Ela acordou no outro dia péssima, e não quer mais falar comigo. Eu disse tudo que precisava dizer, mas me enchi de culpa e de remorço das coisas que eu precisava dizer. Minha vida com ela está ruindo e acredito que as coisas possam não voltar ao normal, e acredito que não há lado positivo nessa situação difícil.
submitted by Tecnology14 to desabafos [link] [comments]


2020.07.27 03:57 cadelinha_auau sou babaca por não confiar em meus pais?

olá luba, gatos, papelões, editores, gatas e turma que estar a veleouvir, hoje vim contar uma história que ta acontecendo atualmente na minha vida (quando tiver atualizações vou contar aqui) e vocês vão julgar se fui babaca ou não. vamos lá.
bom, vou primeiro apresentar os personagens principais dessa história:
eu, 13 anos; meu irmão, 19 anos; minha irmã, 17 anos; meu pai, 41 anos; minha mãe, 37 anos.
outra coisa: tenho depressão e ansiedade, além de crises existênciais frequentes e a constante sensação de estar sendo observada, também tenho paranóias e visões de sombras e pessoas que nunca estão lá.
um pouco de contexto, para vocês não se perderem:
meu irmão é fruto de um outro relacionamento da minha mãe de antes do namoro e casamento dela com meu pai, já minha irmã é a mesma coisa, só que ela é filha do meu pai, e eu sou a única filha que tem o sangue dos dois. Minha irmã cresceu com a avó dela, separada da gente e tendo uma vida boa e mais calma, mas sempre se preocupando com o meu irmão e comigo. Meu pai é padrasto do meu irmão, e por causa disso, meu irmão sempre foi tratado como LIXO pelo meu pai por não ser filho dele, já comigo é um pouco diferente mas ainda assim sou também tratada como um NADA por ele. Meu irmão é abertamente gay e eu sou assexual, mas sou assumida apenas para meus irmãos e para a minha mãe (explicarei em breve), e minha irmã é a única hétero entre nós, mas ela é quem mais nos apoia e quem mais nos ajuda com tudo.
a história começa agora.
bom, eu nasci numa cidade pequena e ano passado fui obrigada a sair da melhor escola que tem por lá (que ia me mandar já preparada para o enem e a faculdade), mas meu irmão ficou por lá por mais 3 meses por conta dos estudos, já que ele não podia sair do colégio dele aquela altura (ele estudava em colégio federal). Meu irmão reprovou de período e foi ai que a merda toda estorou, meus pais obrigaram ele a ir morar com a gente e culpavam meu irmão pela reprovação já que na mente deles o meu irmão levou o colégio com a barriga. Até ai nada tava tão ruim assim, até que outra merda aconteceu: a mãe do melhor amigo do meu irmão descobriu que ele é gay e espalhou para TODO MUNDO (minhas tias, pessoal da igreja e para os clientes do salão dela), por conta desse descuido ele teve que assumir forçadamente para a minha mãe por whatsapp, pedindo para ela não contar pro meu pai já que o meu pai é crente, bolsominion e conservador. Sabe o que ela fez? Isso mesmo, ELA CONTOU! Meu pai disse que aceitava ele dizendo que "era o filho dele", o que já me pareceu suspeito desde o começo, até que descubro o seguinte: minha mãe disse que se meu pai não o aceitasse, ela iria embora. Sim, ele só disse aquilo pq não queria que ela fosse embora de casa. Alguns meses se passaram, a pandemia começou e nós adotamos um cachorro, ele atualmente tem 9 meses e vai fazer 10 em breve, mas nós nos mudamos para outra casa faz uns 3 meses e ele tinha 5 meses na época. O cachorro é filhote e a casa era nova, então ele acabou fazendo xixi dentro de casa, o que fez meu pai descontar TODO O ESTRESSE DELE EM UM CACHORRO, fazendo um mega estalo ao bater nele com o chinelo que fez o cachorro chorar e até eu que estava de fone e vendo vídeo conseguir ouvir. Meu pai ia bater no cachorro de novo, mas meu irmão pegou o cachorro no colo e defendeu ele, o que fez meu pai ficar muito puto e querer por meu irmão pra fora de casa (sim, ele assumiu 3 meses depois disso que queria por meu irmão para fora de casa). Os meses passaram, meu irmão teve uma discussão com minha avó que chegou nos ouvidos da melhor amiga da minha avó, o que fez quando meu irmão lá na casa dessa melhor amiga (a filha dela e meu irmão são praticamente irmãos) ser EXPULSO da casa dela apenas por ele ser gay. Vou pular mais um pouco no tempo e agora vamos à umas semanas atrás, quando adotamos a nossa nova cachorrinha (que enquanto escrevo, está dormindo em cima da mim), e estava tudo indo bem. Estava tendo um almoço aqui no quintal junto dos vizinhos (só para explicar, nós moramos de aluguel na casa de cima desses vizinhos, o que faz nós compartilharmos o quintal e o que fez meus pais criarem uma amizade com eles e o meu irmão uma relação de mãe e filho com a vizinha.) e eu estava em casa, já que eu não estava me sentindo bem e, por não estar me sentindo bem, acabei dormindo para ver se a dor passava, mas eu não sabia o que tinha acontecido naquela manhã, já que eu estava dormindo também (se não me engano eu acordei lá pelas 11hrs e fui dormir por causa da dor lá pelas 15hrs). Meu pai chamou meu irmão para conversar, o que deixou meu irmão surpreso e desconfiado. Eles começaram a conversar e meu pai começou a jogar muitas coisas na cara dele, o que fez meu irmão falar coisas que meus pais não queriam ouvir, deixando meu pai mais puto e minha mãe chorosa, a discussão continou e eles só pararam pq minha mãe já estava chorando e pediu para eles pararem, se não eles já teriam se batido e meu pai teria expulsado meu irmão de casa. Meu pai e meu irmão nem se falam mais desde que isso aconteceu. Chegando no final de junho/começo de julho, eu desabafei com a minha irmã sobre tudo o que tinha acontecido e contei que eles estavam falando muito mal dela e da avó dela para os vizinhos, contando mentiras e fazendo a avó da minha irmã ser a vilã. O que eles falaram e o pq? Vou explicar agora:
meus pais tinham pego meu celular e me deixado de castigo após eu não ter feito o hamburguer do meu pai (eu tinha feito dois para mim e dois para meu irmão, além de que eu estava quase caindo de sono na hora), e por isso tudo o que eu sentia eu escrevia em meu caderninho particular, e não sei se foi a vizinha ou se eles leram esse caderno, mas chegou no ouvido deles de que eu não confiava mais neles e que meus pais eram meus irmãos (o que eles são, já que eles cuidam mais de mim e me tratam melhor do que meus próprios pais), e por causa disso eles disseram que a culpa de minha irmã ser tão "mal-educada, arrogante e desviada da igreja" é culpa da avó dela, pq meu pai lutou pela guarda da minha irmã (graças a deus não conseguiu) e por causa da avó dela a minha irmã não foi criada com a gente, já que na fanfic que eles criaram na mente deles a avó dela """fez a mente""" da minha irmã, sendo que por conta do meu pai a minha irmã quando criança teve crises de ansiedade por causa da presença dele e por ser forçada a ir pra casa dele todo fim de semana. Antes de eu contar tudo para a minha irmã, vem a outra parte da história.
lembra que eu disse que estava sem celular? Meus pais disseram que eu só teria de novo se eu tirasse a senha ou se eu falasse a senha para eles e se eu desinstalasse TODAS as minhas redes sociais (fazendo uma tremenda invasão de privacidade apenas para poder me controlar da forma que eles quiserem), e por conta disso eu tive que assumi para a minha mãe a minha sexualidade e o meu namoro de 2 meses com a minha atual namorada (a gente vai fazer 3 meses agora em agosto 😇💕), o que fez ela me prometer confiar nela e contar tudo pra ela (oq eu obviamente n to fazendo), além de me proibir de assistir o SEU canal e do maicon (n assisto o orochi pq tenho preguiça e óbvio q eu n parei, eu ein, é a única forma q eu tenho de rir). Dei a senha e coloquei senha na conversa dos meus irmãos já q eu tenho o whatsapp mod. Falei absolutamente tudo o que aconteceu para a minha irmã, o que fez ela chamar meu pai para conversar e a minha mãe vir descontar a raiva dela em mim por eu ter falado que falaram mal dela e da avó dela para ela.
desde então, meus pais estão numa enorme briga contra eu e meus irmãos enquanto os vizinhos passam pano pra eles e dizem que "eLeS sÃo PaIs E sAbEm O mElHoR" e que "mEu PaI eRa AsSiM e Eu AmAvA eLe MeSmO aSsIm", querendo passar pano e comparar duas situações totalmente diferentes. Um adendo: os vizinhos são crentes. Minha mãe diz que é tudo um plano meu e dos meus irmãos para acabar com o casamento dela (um tapa no quengo dessa crente fanfiqueira) e meu pai vive me tratando mal.
vou contar o que aconteceu desde quinta-feira (23/07) até o momento atual (domingo, 26/07).
dia 23 foi aniversário do meu pai e nós fomos no centro comprar coisas para a festinha que aconteceu aqui no quintal de casa. Meu irmão acordou cedo e deu parabéns para o meu pai, que retribui com uma cara de nojo e nem um obrigado disse. Já eu, dei o parabéns a noite, já que quando acordei meu pai tinha ido trabalhar e quando voltei do centro eu dormi pq tava mt cansada (a gente andou o centro todo), e só vi meu pai a noite quando ele chegou do mercado. Ele me retribuiu com um "achei que não fosse acordar nunca" e minha mãe mandou a seguinte pérola: "você não era assim".
aliás, pulei uma parte que vai deixar você muito puto: o dia em que a minha mãe virou atriz.
meus pais estavam na casa da minha avó (que mora longe) à trabalho e eu fiquei em casa com o meu irmão (que foi muito bom). Era de madrugada, quase duas da manhã, meu irmão tinha dormido e eu tava acordada lendo, até que recebo mensagem da minha mãe dizendo que não consegue dormir. O motivo? Pq eu disse que não confio nela. nós duas tivemos uma conversa bem longa e eu disse que não confiava nela pq ela não confiava em mim, mas ela disse que confiava sim. Se lembra de quando eu estava sem celular? Eu perguntei no dia q eles pegaram meu celular o pq e ela disse exatamente assim: eu não confio em você. Sim, ela mentiu pra mim.
atualmente a história não tem desfecho, mas meu irmão deve sair de casa até o ano que vem e eu devo ir morar com a minha irmã até o ano que vem também. Me respondam, eu sou babaca por não confiar em meus pais?
me desculpem pelo textão gente.
submitted by cadelinha_auau to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.25 08:06 bolodecakehehe Apenas um grande desabafo sobre minha vida

Sinceramente eu penso em como o mundo seria sem eu,nao mudaria muito pelo simples fato de que eu sou inutil,substituivel,eu n to feliz a um bom tempo,eu sou um peso morto que ninguem quer,mas eu ja aceitei isso a muito tempo,dos meus 11 aos 15 anos eu so pensava em me matar, eu nao conseguia levantar da cama pensando que seria mais um dia ruim,eu tenho muitos arrependimentos,eu aqui ou nao,nao mudaria nada mas as pessoas provavelmente seriam mais felizes,eu nunca desabafei com alguem quando estava triste ou com algum problema por medo do que falariam,n peço ajuda pra literalmente nada porque acho q vao me achar um inutil que nao sabe fazer nada sozinho, entao sempre vivi desse jeito e com medo de conhecer novas pessoas por me achar muito feio e estupido, eu sempre pensei que todo mundo ao meu redor me odiasse,meu irmao so reforçou isso, ele é o tipo de pessoa que sempre exagera na piada, as vezes ele começa a me zuar muito na rua so pra chamar a atençao,meus pais sempre brigaram muito,era uma briga por semana ate esses dias que eles se separaram, meu pai parece muito solitario, na maioria das vezes ele ficava com minha irma que agora ta morando com minha mae, nao sei o que fazer sobre isso eu e ele nunca fomos proximos, tenho medo dele começar so ter pensamentos negativos como eu, antes dos meus pais se separarem eu comecei a beber, fumar e usar muita droga pra ver se minha tristeza ia embora, eu ficava feliz ate que eu n ficasse mais chapado depois disso era a tristeza e os pensamentos ruims sempre voltavam,eu nao sou bom em absolutamente nada entao tenho medo do meu futuro e de decepcionar meus pais,a vida pra mim n faz muito sentido,eu acredito que eu nasci pra fazer as pessoas felizes menos eu, e eu to de boa com isso Nao sei alguem vai realmente le isso mas se ler me desculpa por ter feito voce perde tempo.
submitted by bolodecakehehe to desabafos [link] [comments]


2020.07.16 01:40 SweetBarbecue Porque as pessoas não escutam as opiniões contrárias as suas? Ou então, ao menos tentem entender o assunto, para conseguir argumentar contra.

Bom, desde já, informo que será um tanto quanto longo esta postagem, talvez eu me atropele em alguns momentos, mas vamos lá!
Antes de tudo, preciso deixar claro que são dois pilares que me entristecem/revoltam: a arrogância e o achismo.
Estou estagiando em uma empresa de pequeno porte (13 funcionários) e essa empresa, é aquela típica empresa de família, com todo aquele envolvimento emocional e blablabla. Desde quando eu nasci, meu pai tem um negócio, que na medida do possível, nos proporciona um bem estar social bastante agradável, ou seja, não passamos sufoco. Acho interessante pontuar isso, para que vocês se ambientem na minha visão, eu nasci e cresci ouvindo meu pai falar de questões técnicas de um negócio, sobre impostos e toda aquela burocracia, ou seja, alguns termos que eu escuto no trabalho ou na rua, já não me são novos, talvez eu não os conheça afundo, mas já ouvi falar.
Eu desde sempre, fui aquele revoltadinho, que gosta sempre de estar certo/ganhar, caso contrário, eu fecho a cara e foda-se (nos últimos anos, melhorei muito esse meu aspecto). Quando entrei nessa empresa, era tudo novo, era um ramo totalmente diferente, pessoas novas e um milhão de novidades na minha cabeça, e eu como sempre, sempre optei por aprender as coisas através da leitura ou até mesmo por meio de vídeos, então, em questão de semanas, eu estava mergulhando no mar de informações que esse ramo poderia me fornecer. Antes que pensem que eu tenho o rei na barriga, eu sei me portar frente aos mais experientes, afinal, a vivência ensina mais do que qualquer conteúdo. Desde que eu entrei na empresa, os sócios buscam passar um ar de renovação para a equipe, por meio de dinâmicas, jantares e demais atividades comuns em Startups, e eu em particular sempre achei isso uma encheção de linguiça, afinal, o objetivo mair da empresa, é gerar lucro e não fazer caridade ao mercado (Viva o livre mercado kkkkkk).

Logo na primeira semana, eu já percebi que a Joelma (nome fictício para a chefe do Financeiro), tinha um certo respeito dentro da empresa e por conta disso, as pessoas abaixo dela, não costumavam questioná-la sobre suas ações e pensamentos. Percebi também, que ela era um tanto quanto ultrapassada em questões tecnológicas, mas isso não impede dela ter um raciocínio e mentalidade boa. Mas infelizmente, ela não possui essas características kkkkk, ela é basicamente, uma porta ambulante (desculpem a ignorância, estou guardando esse desabafo há pelo menos 7 meses). Ela não consegue enxergar um palmo além da sua zona de conforto, só existe o jeito dela de fazer as coisas e ninguém pode questionar, mas eu não me importo quanto a isso, ainda mais quando percebo que o erro está afetando o processo interno, então, eu sempre a questiono e argumento (já até me elogiou, mesmo que falsamente, dizendo que eu sou crítico kkkkk, mas eu sei que sou chato mesmo). Mas a minha raiva, começou a aumentar, em meados de Fevereiro, quando começamos a migrar para um novo sistema, e eu e o outro estagiário, ficamos responsáveis de transpor os dados do sistema antigo, ao sistema novo. Começamos o processo, até ai, tudo bem, com exceção de hoje em especifico, que eu só não mandei ela para a PQP, pois venho treinando a paz interior.

Eu fiquei responsável, de lançar uma venda X no sistema (venda complicada e extensa), eu tinha como base, o sistema antigo, umas planilhas e os extratos que mostravam os valores de custo. O problema é: cada uma dessas fontes, tinha uma informação diferente kkkkk, logo, decidi me basear pelo extrato, pois representa o que efetivamente foi gasto, certo? Então, eu me dei a liberdade poética de seguir o que de fato estava pago, diferente dela, que havia considerado informações prepotentes e desatualizadas. Resumo, na hora que ela foi conferir, ela viu que os meus lançamentos, divergiam das informações que ela tinha, em alguns mil reais (devido ao tamanho do negócio, era algo ok, mas não para uma chefe do FINANCEIRO) . Ela me chamou e começou a meio que me questionar a respeito da fonte que eu havia usado e tal, expliquei para ela, mostrei tudo e tal e ela não entendeu, insistiu que eu estava errado e tal. No final, ela constatou que realmente havia feito os cálculos errados e que deveria revê-los, ou seja, trabalho jogado fora kkkkkkk. Mas a melhor coisa, foi ver que ela terá um belo trabalho nos próximos dias, porque ela simplesmente não quis acatar à minha visão (ou a visão de qualquer outro, em outros momentos)!

Eu não sei se fui claro, mas eu precisava tirar isso de dentro de mim, se não é capaz de eu mandar ela para aquele lugar e ainda perder meu emprego kkkkkk. Ahh, eu falei sobre o achismo e nem mencionei o motivo da minha raiva, que é bem simples: as pessoas acreditam que suas noções são supremas e por conta disso, não tem a CAPACIDADE de ler um edital, um informativo e por ai vai. Por isso que nós vivemos com pessoas animais, que não podem ouvir algo que não vá de acordo com suas ideias que se não vão para cima (verbalmente e até mesmo, fisicamente) .

Enfim, era isso, desculpa o tamanho do texto kkkkk, tmj!
ABS
submitted by SweetBarbecue to desabafos [link] [comments]


2020.07.14 02:26 Hladriel Morar com meus pais é uma droga

Hoje o dia foi uma porcaria.
Aqui em casa sempre tá em clima de guerra, todo dia uma briga diferente por conta de coisas tão superficiais igual uma louça que alguém não lavou ou um espelho do banheiro sujo.
Mas hoje foi diferente, hoje a merda caiu na minha cabeça.
Tenho 19 anos, paramos com os estudos por conta da pandemia, então não tô progredindo na questão acadêmica. Pra piorar, tô desempregada faz mais de um ano, ou seja, fico em casa e faço o serviço, nada além da minha obrigação.
O problema é que sempre minha mãe discute com meu pai por causa de serviços/deveres de casa que ele deveria ajudar, pelo menos nos fins de semana, mas ele passa muito tempo fora de casa e ela acredita piamente que ele fica bebendo e se divertindo ao invés de trabalhar (ele é trabalhandor autônomo, vulgo construtor, mais carinhosamente chamado de pedreiro). Enfim, é um rolo e tanto. Mas hoje, eu não sei exatamente como começou a discussão, só sei que eu sei que sobrou pra mim. Meu pai me chamou de vadia, disse que já tenho D-E-Z-E-N-O-V-E anos e que, por conta disso deveria estar trabalhando já que "não faço nada em casa" (ele não move um dedo pra fazer as coisas, quando faz, reclama porque não é "dever" dele). Ele sempre perde o controle e acha que é o mais provedor da casa, que as dívidas que minha mãe faz (tipo comprar uma cama nova pra eles, fazer rancho e tanana) são um problema único e exclusivo dela, disse que a culpa é dela porque eu sou filha dela e que ela deveria ter me educado melhor e todo esse rolê.
Como meus pais me tiveram muito novos, eles mal conseguiram seguir uma carreira legal, problema financeiro é o que mais tem aqui. Quando as brigas deles tomam o rumo pra minha direção, eu sei que eles tão, na verdade, dizendo que a culpa de eles estarem em um casamento ruim e com uma vida de merda é minha porque eu nasci. Minha mãe já falou isso e eu me lembro muito bem. Hoje foi a vez do meu pai jogar as cagadas que ele teve na vida pra cima de mim.
Tipo, não é como se eu não quisesse trabalhar, não é como se eu adorasse ficar na porcaria da casa deles com a barriga no fogão todo dia fazendo comida pra eles e esfregando piso, limpando os móveis e lavando a louça. Cara eu adoraria trabalhar, ter meu dinheiro e fazer eles calarem a boca, mas no meio de uma pandemia não é fácil assim arrumar emprego.
Sei que chorei um monte, nem preciso fazer xixi hoje, porém, vou sair de casa precisando de uma psicóloga e talvez já tenha gastado meu réu primário.
Se teve erro de português, paciência. Bjs.
submitted by Hladriel to desabafos [link] [comments]


2020.07.03 17:31 claudias05 Sou babaca por querer seguir a minha vida?

Oiii turma. Espero que esteja tudo bem com vocês. Desde já lamento pelo texto enorme xD. Eu mandei para o pare de mímimi a pedir ajuda á Gabbie a minha história, mas também quero a vossa opinião.
Bem, para começar com um pouco de contexto, a minha mãe ficou grávida de mim quando tinha 18 anos e o meu pai tinha 19. Isto é muito importante!
Sempre me explicaram que eu nasci por acidente, e eu nunca levei isso a mal, pelo contrário eu brincava com a situação a dizer que sou um acidente feliz.
Como os meus pais foram pais novos, eu tenho os meus avós todos vivos e os meus bisavós também, e sempre fomos uma "família feliz e unida" (depois percebes a razão das aspas).
Até aos meus 12 anos de idade a minha família era o meu apoio, eu sempre sufri bullying na escola (o bullying durou até aos meus 16 anos)e a minha família era tudo para mim, mas aos 12 os meus pais separaram se e o meu mundo caiu.
O problema não foi a separação dos meus pais, eu desde sempre que digo "prefiro vê los bem e separados, do que juntos e mal". O problema foi que graças á separação deles eu descobri que eu vivi uma ilusão a minha vida toda.
Eu sempre fui um pouco mais madura e um pouco mais inteligente do que o normal, e os meus pais aproveitavam isso, "ah C, tens que perceber que isto e isto não pode, os pais não podem" entre outras coisas. E devido a uma parte da família me ver como a razão da vida dos meus pais terem sido arruinadas, eu, para além de gostar imenso de me esforçar por mim mesma, sempre me esforcei duas vezes mais nas coisas para os agradar e fazer por merecer um lugar na família e o amor deles.
Eles começaram me a ver como a "salvação" e a menina deles e começei a ter muita pressão em cima. Quando os meus pais se separaram, eu virei a adulta da família, os meus pais, e os meus avós (tanto os paternos como os maternos) tem todos depressão, e na altura que os meus pais se separaram o meu irmão mais novo tinha 6 anos era muito pequeno, então eu é que fui o suporte da família. Apesar disso, quando eles estavam mal eu era o apoio, quando ficavam melhor eu já era só uma cachopa que não sabia nada da vida.
Conforme o tempo foi passando eu descobri que afinal aquela "família feliz" era uma mentira, eles fingiam isso tudo a minha frente para não me afetar, quando na verdade a família era cheio de problemas, de vinganças, problemas de heranças e intrigas e entre outras coisas.
Eu e o meu irmão ficamos com a minha mãe e íamos ver o meu país aos fins de semana, e com o passar do tempo o meu pai começou a mudar o comportamento dele.
Começou a manipular me, e a tornar se abusivo (nunca me bateu, porque apesar de todos os problemas eu continava a ser a menina, e ele só fazia as chantagens emocionais e os jogos mentais).
Os problemas começaram a aumentar com o tempo, a minha mãe com a depressão dela começou a prender me ainda mais (eles sempre foram muito protetores por serem pais jovens e nunca me deixaram fazer nada), não podia fazer nada, não podia ir ter com os meus colegas, nada.
E o meu pai começou a piorar os comportamentos dele.
Em relação ao meu pai chegamos mesmo a ter a polícia envolvida, aos meus 17 anos a polícia chegou a aconcelhar,fazer mos queixa porque o que ele fazia comigo, com a minha mãe e com o meu irmão era violência doméstica emocional e psicólogica (por isso é que não digo as coisas que ele fez para não dar gatilho em ninguém que esteja a ler).
Nesse mesmo ano fui a tribunal testemunhar sem advogados nenhuns contra o meu pai. Eu fui lá dei o meu testemunho e disse "eu não quero que ele vá preso, eu quero que o ajudem e que o acompanhem, porque eu sei que ele tem depressão e ele não tem de ser preso só precisa de ajuda". Resumindo a situação do tribunal eu pus a juíza a chorar em pleno julgamento, os advogados não sabiam mais o que dizer, o meu pai graças ao meu testemunho ia ser punido e acompanhado, mas a minha mãe desistiu da queixa.
Depois disso eu deixei de ir ter com ele, já que não resolviam o assunto eu ia dar prioridade a mim mesma e a minha saúde mental (graças a tudo o que ele fez a minha média escolar desceu 6 valores e mesmo assim consegui acabar esse ano como se tivesse descido apenas 0,2 valores, mesmo com tudo a acontecer). Eu não podia deixar estas coisas afetarem o meu futuro.
Devido a esses 0,2 valores, eu perdi direito a bolsa de mérito devido as boas notas. (isto vai importar mais a frente).
Quando deixei de ir, o meu irmão ia na mesma, e o meu pai usava o meu irmão para me fazer inveja e a vida num inferno. Ele dizia me vezes e vezes em conta que não havia razões para não ir porque ele na fazia nada, e comprava o meu irmão para ele lhe dar razão.
Em casa a minha mãe dizia "estas a ver o que estás a fazer ao teu pai? Já viste o que estás a fazer aos teus avós também, quanto eles estão todos a sofrer" ela dizia isso sempre que nos falávamos do meu pai. Farta da ouvir decidi ir ter com ele para exprimentar e o meu pai começou logo com problemas outra vez e com as coisas dele, e eu tentava sempre resolver e ele fazia se de vítima e culpava me a mim.
Falei com os meus avós para o tentarmos ajudar a ultrapassar a depressão dele, e disseram que era só eu deixar de mentir que a depressão dele passava (ou seja eu era a culpada da depressão dele, quando ele sempre a teve).
Em relação ao meu pai eu apenas ignorei o assunto vou ter com ele apenas em festas de anos ou assim e pouco tempo para ele não poder manipular e para a minha mãe não me chatear (apesar de que ela diz sempre "vez tinha razão" quando é mentira porque eu quando vou para lá eu tenho de por uma máscara e agradar lhes em tudo, e sinto me horrível sempre que vou e estou la).
O problema aserio foi agora á um tempo. Eu fiz os 18 em maio, e desde o início de 2020 que a minha mãe anda me a prender mais e sempre a mandar a baixo a dizer que não estou pronta para gerir uma casa sozinha porque sou desorganizada e coisas assim (quando é mentira, eu adoro organizar as minhas coisas, eu apenas o faço de maneira diferente dela). Ela até diz a minha avó (mãe dela) coisas que eu não faço bem, imagina eu faço 5 coisas 4 bem e uma mal, e ela conta a mal a minha avó e diz "opah vez, já eu não era nada assim contigo, agora a c fogo". Até na minha cara ela faz isso.
A depressão dela tem piorado e ela está quase no mesmo ponto que ficou quando os meus pais se separaram, (ela ficou de cama 3 meses e eu com 12 anos na altura é que a levantei da cama).
Ela tem andado pior e descarrega em mim. Eu é que tenho feito as coisas em casa, e depois de 6 anos a aturar estes problemas e a resolver tudo e a compreender tudo, e de sofrer imenso mas sempre a compreender que eles tinham problemas e a depressão, eu decidi ter uma conversa com a minha mãe.
Eu deixei de lhe contar o que sentia depois dos 13 anos, porque ela deixou de me apoiar, dizia que era normal, que iria piorar com o tempo, para eu ignorar, que ela não podia porque estava cansada, que os problemas dela agora eram maiores. Mas no fim de cada coisa desta que ela dizia, ela dizia sempre "mas compreendes não é c?"
Eu decidi que tinha que ser sincera com ela, e tentei faze ló durante muito tempo, mas eu não andava bem e não iria ter capacidade de compreender o ponto dela, ou ela andava mal. Ou até ela dizia que não tinha tempo para essas coisas. Uma vez eu tentei pedir lhe ajuda por causa do bullying e ela disse "ignora que isso passa" (durou 10 anos seguidos e até hoje tenho alguns problemas devido a isso.)
Na quarentena ela começou a ficar muito sufocante (eu não saio de casa há literalmente 110 dias). E eu decidi falar com ela e dizer:
"nos sempre falávamos e tu perguntava se eu compreendia, e eu compreendia, mas isso não significa que eu não sentisse as coisas. E quando eu dizia que compreendia tu começas logo "entao pronto escusas de estar com essas trombas, fogo C". A única coisa que quero mãe e que compreendas tu agora que não é por eu perceber as vossas coisas que eu não sinto as coisas e tenho direito de não estar bem também."
A minha mãe foi se super abaixo, ela sempre se apoiou imenso em mim, eu sempre fui mais concelheira dela ou apoio do que uma relação de mãe e filha, principalmente depois da separação deles. Quando eu lhe contei isto em vez de se focar no assunto começou a falar de como a vida dela foi complicada e por isso ela não tem a cabeça bem, e que era uma mãe horrível, mas que apesar de tudo o que passou tentou o melhor. Ela voltou a fazer o que fazia sempre que eu tentava falar com ela, focou se nela e nos problemas dela.
Eu falei por exemplo da situação do tribunal e disse:
"Eu compreendo que tu não queiras sentir que eras a razão pela qual o pai foi para a prisão, mas eu e o J(o meu irmão) já te tínhamos dito que não era a culpa tua, e depois de tudo eu senti me traída por teres tirado a queixa e ainda teres começado a defende ló a dizer que eu é que o andava a magoar". Ela simplesmente disse que eu tinha de compreender que ele foi uma grande parte da vida dela e que aquilo tudo de magoava, e eu só disse "sim eu compreendo te, ele é meu pai lembras te. Só te peço que percebas que também tenho direito a sentir me mal". E ela virou a história toda para ela e a fazer se de vítima e a valorizar mais o que ela estava a sofrer por tudo.
E agora vem o grande ponto, nessa conversa ela disse "eu vou te contar algo que só eu e o teu pai sabemos, tu não foste um acidente, eu e ele decidimos ter te de propósito para fugirmos de casa".
Quando ela me disse isso caiu me tudo, e tudo começou a fazer sentido. Eu tenho falado com o meu tio (irmão dela, eu e ele somos muito parecidos e os únicos racionais e imparciais nesta família) e já falei com a psicóloga do meu irmão/minha que tem acompanhado o meu irmão e a minha mãe, e cheguei a muitas conclusões.
Eu fui só uma desculpa para fugir de casa, eles tiveram me como desculpa para sair e passado um ano não conseguiram e tiveram de voltar para a casa dos meus avós. Na minha vida toda já mudei de casa 10 vezes porque eles nunca queriam viver com os meus avós mas nunca conseguiam gerir o dinheiro.
A minha família sempre me viu como um erro, e fui culpada por tudo e mais alguma coisa. Mas cada vez que eles queriam trocar de casa eu tinha que compreender e shiu.
Eu cheguei a conclusão que eu passei a minha vida toda a viver a vida deles. Sempre compreendi as coisas deles, sempre ajudei os apoiei e nunca me deixaram fazer nada.
Um exemplo, eu faço imensas coisas e quando alguém vem a minha mãe gaba se que a filha tem boas notas, tem imensos hobbies, muitos projetos, é boa a desenhar a cantar e por aí fora. Mas quando eu quero fazer algo levo logo com um não.
Eu organizei a banda da minha escola sozinha, e estava a frente disso tudo, e estava a ter ensaios da banda para a festa de Natal e a minha mãe fez de tudo para eu não ir aos ensaios só porque não. Depois anda a mostrar a tudo e a todos os vídeos da festa,a gabar se da filha dela fazer isto e aquilo, como se fosse graças a ela quando ela é que põem as barreiras todas contra. E chega mesmo a desvalorizar as coisas a dizer que o que eu faço são apenas hobbies, por exemplo desenhar (já vendi obras minhas e ela disse para cobrar metade do preço a sério só porque é um hobbie).
Não te contei tudo porque era mesmo muita coisa, mas hoje em dia simplesmente já tou farta. Graças a tudo o que eles me fizeram, eu não me sinto em família e muito menos em casa.
Consigo simplesmente apagar qualquer pessoa da minha vida, já não olho para eles da maneira como olhava, para mim eles já não são nada.
E o problema é, eu quero viver a minha vida. Eu quero agora quando acabar os exames ir trabalhar para guardar dinheiro para ir tirar o curso de psicologia na universidade, e a minha mãe não me deixa ir trabalhar. Diz que quer ser ela a pagar e que eu vou e venho todos os fins de semana e que vou continuar a viver com ela e dependente dela. E eu não quero isso, eu quero começar a minha vida.
Eu já tive 7 trabalhos na minha vida toda, já trabalhei desde os meus 15 anos fora da família (para a minha família desde os 10) e tinha dinheiro guardado.
Agora não tenho dinheiro nenhum, porque o meu pai não pagava a pensão de alimentos, e a minha mãe usou o meu dinheiro para por comida na mesa. (Ela usou o dinheiro que eu guardava do trabalho, o das bolsas que recebi e quando era pequena usava o que recebia como prendas).
Não tenho dinheiro nenhum, ainda não tenho carta nem carro, pois o dinheiro que era para isso a minha mãe gastou me o dinheiro e eu não quero que sejam eles a pagar me a universidade. Eu prefiro entrar na universidade daqui a 3 anos e pagar eu e ter a minha independência do que continuar dependente deles economicamente.
O problema é, a minha mãe esta outra vez com um esgotamento, e o meu pai também está muito mal com a depressão dele e anda a tentar comprar me para me voltar a ter. Basicamente eles andam me a prender mais e mais a eles.
E eu sei que se eu simplesmente ignorar tudo e todos, ignorar o assunto e seguir a minha vida e viver finalmente para mim, que eu sofro no primeiro mês mas que aseguir sigo a minha vida e depois de tudo o que me fizeram ao fim de tanto tempo já não vou sofrer mais.
No fim,foi tudo uma mentira enorme e eu fui apanhada no meio sem culpa.
Mas também sei que se eu o fizer, a família vai se toda a baixo.
A minha mãe perde o apoio, o meu irmão vai piorar (ele é igual ao meu pai, mas eu tenho andado a educa ló basicamente e anda a melhorar).
O meu padrasto vai acabar por largar a minha mãe (a relação deles é basicamente dependência amorosa e eu é que tenho andado a apoiar tanto um como outro e tem resolvido as coisas) e os meus avós vão sofrer ao ver a filha deles assim. Do lado do meu pai vao sofrer outra vez de eu me afastar (eles acham que me tem na mão).
Eu ando a pensar em acabar os exames, tirar a carta e fazer alguns dos meus projetos, e depois apartir de setembro preparo o terreno cá em casa para ir trabalho. E se começarem com problemas saio de casa.
Isto tem me chateado imenso a cabeça, tem me complicado imenso porque,quero viver a minha vida mas não queria simplesmente ter que curtar tudo com eles. Queria tentar resolver tudo de forma que desse para não haver tantos problemas.
As vezes ainda penso que sou eu apenas a ser uma adolescente a fazer birra e esqueco. Finjo que o problema sou eu é muito mais fácil de resolver assim, mas a minha saúde mental é muito mais importante e não posso continuar assim.
Sei que é complicado a história,mas turma digam me, sou a babaca por querer viver a minha vida sem problemas e fazer as minhas coisas depois de tudo?
PS: desculpem o tamanho do texto 😅
submitted by claudias05 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.29 20:20 throwaway2159861 Fracassei em todos os aspectos da minha vida

Boa tarde, estou precisando desabafar e resolvi contar aqui grande parte da minha história e talvez fazer uma auto-análise. Imagino pelo que vi e vivenciei que é possível que muitas pessoas se identifiquem com os assuntos que eu vou falar, então pode até ser uma leitura interessante.
Antes de começar, recomendo essa música pra quem por ventura vier a ler o texto abaixo. Ela não tem nada de especial, mas eu gosto bastante dela.
https://www.youtube.com/watch?v=7NLvmr7zpso
Pois bem, atualmente tenho 28 anos, quase fazendo 29 e estou terminando a minha segunda faculdade. Provavelmente algumas coisas em relação a datas serão confusas pois além da minha memória ser bastante ruim, ela se restringe aos últimos 5 anos da minha vida. Então, as últimas memórias que eu tenho são da copa de 2014 no Brasil onde consegui assistir a alguns jogos. Eu não sei se isso é neurológico, mas estou pra ver isso tem alguns anos já. Antes que perguntem, eu tenho memórias de situações anteriores, mas em vez de lembrar do fato em si eu me lembro de alguma outra pessoa me contando, então é uma espécie de memória de segunda mão.
Enfim, quando eu tinha cerca de 10 anos eu tive depressão crônica e comecei a tomar medicamentos para tratar isso. Por volta dos 13~14 além do tratamento da depressão, eu comecei a ter ataques de pânico intensos, de modo que eu tive que abandonar o colégio por cerca de 6 meses pois eu não conseguia sair de casa. Também desenvolvi um distúrbio de personalidade esquizóide. Felizmente acabei não perdendo o ano pois a direção entendeu a minha situação e eu tinha boas notas, esporadicamente eu arrumava a matéria do colégio e lia em casa pra tentar aprender alguma coisa. Curiosamente um amigo meu me contou anos depois que a minha mãe por volta dessa época pediu pra ele e alguns outros amigos tentarem me convencer de ir numa excursão do colégio que seria durante um feriado prolongado.
Avançando um pouco, por volta dos 17 anos e perto de prestar o vestibular, eu não tinha a menor idéia de qual curso eu deveria escolher. Cheguei a perguntar para o meu pai se ele poderia me dar mais um ano pra escolher a carreira enquanto eu fazia um cursinho mas ele só riu e achou que eu estivesse de sacanagem. Por fim, acabou falando pra eu fazer Direito pois ele sempre achou que todo mundo deveria saber o básico das leis, além do fato de ter trocentos concursos públicos disponíveis pros graduados. Nesta época, eu já estava de saco cheio de estar indo no psicólogo e no psiquiatra com regularidade, além de ter que tomar os medicamentos todo dia. Pra ser sincero, comecei a tomar os medicamentos em dias alternados em vez de diariamente e cada vez mais fui espaçando, até o ponto de achar que eu não precisava tomar mais. Não notei mudança nenhuma no meu comportamento, apenas uma grave insônia. Depois de um tempo então revelei que eu não estava mais tomando os medicamentos para os médicos e para os meus pais e como aparentemente não fazia diferença nenhuma porque ninguém percebeu, eu só parei de frequentar o psicólogo e psiquiatra de um dia pro outro.
Como eu não sabia pra qual curso prestar vestibular, acabei acatando a idéia do meu pai, só que eu não tinha motivação nenhuma pra estudar. Aliás, eu nunca tive e sempre fiz parte da grande maioria dos alunos que estudam apenas na véspera. Para a minha grande surpresa, acabei passando no vestibular e só fiquei sabendo aos 45 do segundo tempo, no penúltimo dia da pré-matrícula quando um amigo meu veio me dar parabéns. Foi uma conversa engraçada, ele me deu parabéns mas eu não sabia pelo quê, já que eu não tinha acompanhado o resultado do vestibular pelo fato deu não ter estudado durante o ano. Foi uma grande sorte, que aliás é um tema recorrente na minha vida. Dei sorte do meu colégio dar o conteúdo inteiro durante o 1º e 2º anos do ensino médio, deixando o 3º ano apenas pra revisão da matéria toda, então querendo ou não, eu assistindo as aulas acabei fazendo uma revisão sem querer. Dei muito mais sorte do meu amigo ter me avisado, já que sem ele eu perderia a matrícula e só deus sabe o que aconteceria. Talvez eu conseguisse o meu sonhado ano pra descobrir o que eu queria fazer da vida, mas me conhecendo, acho que eu apenas procrastinaria por mais um ano.
Já no começo da faculdade eu percebi que as carreiras legais não eram pra mim. Na verdade, analisando friamente, tenho certeza de que eu seria um bom juiz, devido à minha personalidade e jeito de ser. Infelizmente nasci sem a motivação necessária para traçar objetivos de longo prazo e perseguí-los. É bem verdade que eu considero que não se nasce com isso e que é tudo uma questão de disciplina, mas não me vejo mudando isso na minha personalidade no curto, médio ou longo prazo. Talvez seja um mecanismo de defesa pra me prevenir do fracasso, afinal de contas, ninguém pode dizer realmente que fracassou se nem tentou.
Enfim, apesar de achar a área da advocacia algo bastante chato, passei a me interessar moderadamente pela área acadêmica, mais especificamente pelo jusnaturalismo. Na época da faculdade comecei a ler um pouco sobre religião comparada e sempre achei que o direito sem uma base metafísica não passa de um jogo de poder onde quem possui mais faz a lei e quem não possui apenas obedece. Até hoje tenho vontade de realizar uma pesquisa acadêmica sobre isso, mas as chances beiram a zero pois a vida acontece.
Também durante a faculdade eu comecei a ter recaídas da depressão, mas como eu já conhecia os sintomas, eu sempre tomava medidas contra a minha própria vontade para tratar o problema no início. Eu tinha que manter um horário de sono regular, fazer algum tipo de exercício físico diariamente e ter uma alimentação mais saudável. Isso realmente funciona, então se alguém estiver passando por isso, recomendo fazer isso antes de partir para algo mais radical. O problema é que isso é chato demais e eu não conseguia manter essa disciplina por muito tempo, então eu ficava alternando períodos bons e ruins. Na verdade, isso acontece até hoje, mas aos poucos fui aprendendo a lidar com isso.
Vou abrir um parêntese aqui pois pelos anos de experiência, percebo que muitas pessoas passam pelo mesmo problema que eu, sobretudo aqui que é um lugar para desabafos anônimos. Também não é um assunto fácil de conversar com as pessoas, a não ser que você tenha ótimos amigos ou uma família bem estruturada que se importa realmente com você. A minha família sempre me deu essa abertura, mas por conta da minha personalidade eu nunca fui capaz de falar nada disso com eles. Aliás, não sei nem se adiantaria alguma coisa falar com eles. Acredito que o melhor meio mesmo seja apenas ler relatos na internet de pessoas que passam por uma situação semelhante pra saber que isso não acontece só com você. Acho que isso foi o grande motivador pra eu escrever este texto.
Gostaria de falar sobre sentimentos. É bastante paradoxal, visto que eu sou literalmente analfabeto em matéria de sentimentos e não sinto quase nada devido à minha TPE. Ainda sim, acredito que ajuda bastante saber que alguém tem a mesma sensação que você, pois é algo difícil de colocar em palavras. A pior delas é justamente esse algo que não tem nome. É como se fosse alguma coisa queimando, mas não queimando num sentido físico. Está mais para uma dor na alma, ainda que paradoxalmente a dor pareça física. Desde pequeno eu sinto isso e não consigo imaginar a minha vida sem sentir isso. A melhor forma que eu encontrei de descrever essa sensação até hoje foi como se existisse um buraco negro em algum lugar aqui dentro e que ele estivesse sugando tudo, até mesmo a tristeza, só que como ela está em maior quantidade, é o que acaba sobrando pra gente, ainda que essa tristeza não seja tão intensa quanto já foi em outros momentos.
Voltando, já no meio da faculdade eu sabia que teria problemas caso eu decidisse mudar de carreira pois seria bem mais difícil a minha entrada no mercado de trabalho sem experiência e com uma idade avançada, sem contar psicologicamente, já que os meus amigos estariam numa posição mais avançada da carreira profissional e consequentemente ganhando muito mais dinheiro que eu, o que é difícil pra qualquer pessoa, ainda que você não se importe muito com isso. Eu decidi não abandonar o curso no meio pois era um curso de renome numa excelente faculdade, então ainda tive que aturar mais 2,5 anos estudando algo que eu não gostava só pra pegar o diploma no final tendo certeza que eu não iria usá-lo.
Pois bem, prestei o enem no último ano da faculdade e consegui emendar um curso no outro. Não pra minha surpresa, descobri que o segundo curso que eu escolhi também era horrível e confesso que até cogitei em voltar pra advocacia. O problema é que eu não tive nenhuma experiência profissional em escritórios de advocacia e já esqueci o conteúdo da faculdade anterior, o que basicamente me impossibilita de voltar pra carreira anterior.
Ao menos arrumei um estágio e estou ganhando um salário mínimo por mês até eu me formar, que eu espero que seja daqui a dois meses. A parte ruim é que provavelmente não vão me contratar e eu vou ficar desempregado, a parte boa é que eu odeio o meu trabalho e provavelmente não vou aguentar nem mais 1 ano trabalhando lá.
Dito isto, vamos aos problemas e ao real motivo do desabafo. De uns tempos pra cá o negócio do meu pai está indo muito mal, de modo que tivemos que pegar alguns empréstimos com o banco e o coronavírus acabou forçando o negócio a ficar parado desde março. Então, já estamos numa situação periclitante.
Não bastasse isso, recentemente meu pai teve que operar para tirar um tumor e ao que tudo indica, provavelmente ele está com câncer. Além disso o meu pai está no limite de fazer parte do grupo de risco do covid e trabalha com atendimento ao público. Não sei como faremos pra tomar conta do negócio, já que ele provavelmente vai ter que parar de trabalhar pra fazer o tratamento.
A minha mãe por sua vez é aposentada por invalidez. A minha irmã tentou abrir um negócio também mas foi paralisado pelo coronavírus, sendo que ele já não ia bem. Desde o ano passado ela veio com uma proposta deu tomar conta da parte administrativa da coisa e tirar um dinheiro para mim do que entrar, mas a verdade é que ainda não consegui tirar sequer 1 real da coisa pois essa é a única fonte de sustento da minha irmã, então tudo o que eu consegui foi trabalhar de graça e um monte de dor de cabeça.
Eu por minha vez estou trabalhando entre 10 e 14h por dia ganhando um salário mínimo, fora o estresse e ainda tenho cerca de 5 semanas pra escrever o TCC que eu nem comecei pra me formar na faculdade daqui a 2 meses.
A única notícia boa que eu tive recentemente foi um conhecido meu ter me contado que só não se matou porque há uns anos atrás eu liguei e conversei com ele bem no dia em que ele tinha pretendido se suicidar.
Dada a minha situação é difícil não pensar em se matar constantemente. Não que isso seja algo novo, tenho esses pensamentos recorrentes desde os 13 ou 14 anos de idade, mas entre pensar e fazer existe um abismo infinito de modo que eu nunca cogitei seriamente fazer isso. Ainda sim, deixo sempre a opção aberta muito embora eu tenha me decidido a fazer isso só depois dos meus pais e da minha irmã morrerem.
Sendo bem sincero, motivos mesmo pra continuar vivendo eu não tenho nenhum. A única coisa que ameniza um pouco é eu tentar deixar a vida um pouco menos merda para os meus familiares, só que o fato é que eu tenho 28 anos na cara e não consigo nem me sustentar sozinho. Se o meu pai morrer, seja de câncer ou de coronavírus, imediatamente teremos que vender o apartamento e ir morar de aluguel ou com algum parente.
Eu acho que isso tudo é culpa minha, mas no fundo eu sei que não é, já que ninguém é capaz de prever o futuro. Também sei que a minha situação não é tão ruim quanto a de outros, já que eu ainda tenho um teto e comida, mas também sei que a coisa pode ficar feia muito rápido.
Acho que o maior agravante é que eu não tenho sequer 1 área da vida onde eu tenho um desempenho satisfatório. Fracassei economicamente, já que não consigo me sustentar; Fracassei amorosamente, visto que não tenho perspectiva nenhuma de constituir família; Fracassei socialmente pois o meu já pequeno círculo de amizades está se tornando cada vez menor muito pela perda de contato, já que eu não tenho mais como acompanhar os meus amigos com tanta frequência devido à falta de tempo e dinheiro; e a pior de todas, é a sensação de que fracassei como filho. Sim, é verdade, e eu tenho certeza que ninguém nunca vai falar isso, mas não existe nada mais natural que os filhos tomarem conta dos pais na velhice. Infelizmente pra mim, esse tempo chegou e eu não fui capaz de resolver esse problema à altura.
Quem não gostaria de bancar os pais para eles pararem de trabalhar, depois de uma vida inteira de trabalho? No meu círculo social já há pessoas que conseguiriam fazer isso, ao menos durante esse período de quarentena. É inevitável a comparação, mesmo sabendo que cada um é cada um. Eu sempre soube que seria difícil não ficar chateado com esse tipo de coisa quando eu escolhi mudar de carreira, mas está beirando o impossível. Não apenas no aspecto econômico, mas também no aspecto afetivo. Desde sempre a minha família soube que eu era praticamente um autista no quesito de relações sociais, ainda que eu esteja infinitamente melhor do que quando eu era mais novo. O que pega mais, é que no meu íntimo eu sequer considero a minha família como família propriamente dita. Eu entendo que eu tenho um dever moral para com eles, mas não vejo diferença entre eles e os outros seres humanos. É por isso que eu nunca falei eu te amo para eles e nem para ninguém. Não tenho certeza se eu vou chegar a falar isso pra alguém na minha vida, mas tudo indica que não.
Enfim, eu tinha mais coisas pra falar, mas infelizmente tenho que voltar a trabalhar. Desabafar aqui não foi ruim, eu deveria fazer isso mas vezes. Dito isto, eu estou juntando um dinheiro pra me consultar com um psicólogo online depois de quase 10 anos. Eu gostaria de ter dinheiro pra fazer pelo menos 2 meses, mas é difícil achar um psicólogo bom na faixa de preço que eu posso pagar.
Se possível, eu também gostaria de um feedback sobre o texto em si. Eu tenho uma conta anônima no medium e escrever lá, ainda que infrequentemente por falta de tema ou tempo, acabou se tornando uma das poucas diversões que eu tenho, muito embora eu ache que seja difícil alguém chegar a ler até o final, dado o tamanho imenso do texto.
É isso, excelente dia pra vocês.
submitted by throwaway2159861 to desabafos [link] [comments]


2020.06.28 12:39 NayhAlmeida Sou babaca por não contar para minha família que estou a um ano morando fora do Brasil?

Olá galera, criei essa conta só para contar essa história. Desculpe os erros de português,estou muito nervosa e me sinto muito estranha contando isso.
Me chamo Nay, mas vou preservar minha família dessa exposição então não usarei os nomes deles. Nasci de uma gravidez indesejada, não convivo com meu pai e minha mãe me deixou com minha avó para viver com meu padrasto, pois na época ele exigiu que eu não existisse entre os dois, então eu morava com minha avó, meu avô, meu bisavô João e meu tio. Minha família é muito conservadora, é de interior de Minas e é muito fervorosa religiosamente, com isso eles sentiram muita raiva da minha mãe com isso tudo, na época meu tio tinha 15 anos e era o prodígio da família, pois iria ser padre, e meus avós faziam de tudo por ele até eu nascer e tomar toda essa atenção e cuidados, meu tio ficou muito irritado alguns primos falam que ele falava que eu estava dormindo quando pequena só para que as amigas da minha avó não fosse me visitar, o tempo passa eu já com 12 anos e meu tio foi "rejeitado" na escola dominical com decidiu fazer faculdade, mas meu bisavô decidiu em vez de ajudar ele nos custos e essas coisas, que teria prometido antes, ele me colocou em um Colégio particular bom da minha cidade, pagar cursos de pintura (que amo) e essas coisas, meu tio ficou com muita raiva de mim e quando todos não viam ele me batia e fazia com que tudo de errado da casa caísse sobre mim, exemplo quem quebrou isso? Deve ter sido a Nay, minha avó não gostava das minhas atitudes já que eu não ia a igreja com ela, detestava rezar o terço e isso piorava com o que meu tio fazia, meu bisavô morreu quando tinha 12 anos e então esse ano foi péssimo entrei em depressão, todos me acusavam de não dar valor o que meu bisavô fazia, por conta de não ir com ele na igreja, enfim repeti na escola por faltar, pois nem a aula queria ir emagreci, tentei coisas contra minha vida, mas minha avó achava isso frescura de adolescente querendo aparecer. Daí pra frente minha vida foi um inferno, comecei a trabalhar em um emprego de meio expediente depois das aulas, minha avó começou a exigir que eu pagasse contas da casa para ajudar, mas com tempo ela começou a exigir que eu pagasse a estadia, que se eu morasse ou estivesse em hotéis eu estaria pagando mais. Então eu pagava tudo com contas equivalentes que minha avo fazia, tipo conta 300 dividia por moradores e eu pagava minha parte.
Nota: ate meus 15 anos.
A mãe de uma amiga minha ficou mal com aquela situação que eu passava e perguntou se eu queria morar com ela em Belo Horizonte, juntei meu dinheiro e fui, minha família deu graças por não ter esse peso, meu tio na época morava sozinho com seu amigo no rio de janeiro já estava formado na faculdade e trabalhava lá.
Passada uma semana que estava em BH fiquei sabendo que a cidade toda estava de fofocas, principalmente nos eventos da igreja que minha avó ajudava, sobre minha família ter me "expulsado de casa", pois era assim que eles pensavam, fofoca ne, então minha avó começou a me ligar pedindo pra que voltasse que tudo iria mudar, mas eu já estava bem, trabalhava meio período, estudava e adorava ter paz quando chegasse em casa, minha avó começou a me chantagear falando que se eu não voltasse ela iria morrer e dramas dessa forma, que estava mal por não estar comigo. Então numa tentativa desesperada minha avó fingiu estar mal e pediu o médico que a internasse no hospital para fazer exames, já que ela estava muito mal, sim na minha cidade alguns médicos fazem TUDO que você pede se pagar. Então nessa hora meu tio me liga dizendo que se eu matasse minha avó ele iria ate no inferno me buscar, fez um escândalo com a mãe da minha amiga dizendo que eu fugi de casa, publicou isso em todas as redes sociais com minha foto, falando que eu era a pior pessoa do mundo pra minha família que minha avó estava doente por conta minha, detalhe que naquela época eu tinha no meu Facebook meu chefe e amigas de trabalho, então fui demitida em uma conversa estranha sobre eu ser uma pessoa melhor e voltar pra minha família, chorei muito e voltei. Quando cheguei minha avó estava em casa com a cara mais plena do mundo, falou que não sabia que meu tio fez aquilo, que ela não pediu isso e que ela nem estava tão mal assim, que não tinha culpa e eu voltei por quis, dai pra frente no natal e reuniões de família eu evitava meu tio, minha avó vê meu tio como o menino de ouro dela que nunca a decepcionou então para ela meu tio fez certo. Dai até os meus 18 anos trabalhei e estudei, pagava a minha moradia e não tinha amigos, pois para minha avó ninguém tem amigos e que amigo é só Deus, que todos me invejavam e essas coisas então minha avó arruinava minhas amizades falando e fazendo coisas e depois fingindo que não fez. Chamava minhas amigas de vagabundas quando eu não estava em casa para não me chamarem que eu não ia sair com aquele tipo de gente.
Então com 18 anos conheci meu ex ele morava em outra cidade no caso uma cidade universitária, ele estudava lá, mas ele nasceu na mesma cidade que eu então a gente se conheceu por isso, expliquei para ele como era minha família porque sei que não é fácil pensar isso deles já que são muito ligados a igreja e a família dele também, vou pular uma parte longa do começo do nosso namoro até ele descobrir os podres da minha avó pois não é o foco, enfim eu fui fazer faculdade na mesma cidade que ele, consegui auxilio alimentação da universidade e moradia então morava no campus e comia lá, era bem puxado pois fazia matemática e dividia quarto com mais 3 pessoas que nem conhecia, mas era necessário eu queria ter paz na vida, eu não entrei na faculdade por querer algo como me qualificar eu só queria sair de casa, minha família ficou orgulhosa por vários motivos, primeiro que meu ex era de "boa família", segundo que eu estava fazendo faculdade federal e então estava tudo ótimo para eles certo? Errado eles me cobravam constantemente pra terminar meu curso, quem é de exatas entende o quão tenso é você decorar 1 milhão de fórmulas e na hora da prova não saber qual é a primeira que irá usar e o branco vir, então no começo a adaptação é tensa, cobrava que eu casasse com meu ex no caso já estavamos com 2 anos de namoro e morávamos juntos nessa época, mas como disse eu e ele não ligavamos pra eles, eles me mandavam dinheiro através da conta do meu ex para que eu possa comer algo, era bem pouco mas ajudava sim não posso negar, pois comprava pão e leite, eu já ia para casa só nas férias e minha família continuava querer cobrar minha estadia quando ia, exemplo: você ficou 10 dias, então com a luz, água e x o valor fica xx, eu achava isso um absurdo, pois eu ia só para visitar minha família (obs.: minha mãe separou do meu padrasto e teve minha irmã com isso as duas foram morar com meus avós, então eu ia para ver ela) Mas com o tempo passei a ir só no natal e voltava antes do ano novo, então não dava tempo de se meterem na minha vida, o tempo passou e meu namoro já tinha virado mais amizade que amor, então decidimos separar, mas não falamos para minha família logo, ja que na visão da minha avó eu não consigo me virar sozinha sem meu ex, e nenhum homem será bom que nem ele, então mantivemos essa mentira por um tempo e quando contei minha família achou que seria uma fase e que a gente voltaria logo, sendo que já tínhamos superado e já tínhamos ficado com outras pessoas, passa o tempo e em 2019 decidi que iria viajar, queria a muito tempo, mas meu ex não programava falava sempre um dia e um dia, mas acabava que nunca chegava esse dia, então decidi mesmo que minha família brigue por viajar sozinha eu iria, tinha juntando dinheiro e queria viajar para fora do Brasil. Em outubro de 2019 eu conheci meu atual pelas redes socias, iria viajar no ano novo decidi que seria para Portugal e então comecei a olhar as coisas do país, onde ficar e com isso acabei falando com ele, ficamos íntimos muito rápido e na primeira semana falávamos de tudo um com outro, conversa vai e vem e eu decidi que iríamos nos ver assim que eu chegasse. Mas com o tempo essa paixonite ficou mais séria e eu e ele só pensavamos o que fazer quando eu voltasse pro Brasil e ficasse longe, porque pra mim uma viagem dessa seria de 5 em 5 anos, e ele é militar acaba que não tem tempo também para viajar, então decidimos com ele que eu iria ficar lá com ele (não foi assim do nada foi pensado e seria um teste se desse errado eu voltava), mas sim faltava 3 meses para isso, então eu arrumei as coisas, resolvi questões já que morava sozinha então tinha coisas a fazer e resolvi que faltando 1 semana pra ir eu iria para minha cidade falar com minha família sobre isso, pois não daria tempo deles tentarem arruinar esse meu desejo e eu queria que fosse algo leve que eu explicasse que eu teria dinheiro e se eu quisesse voltar eu voltava, mas quando cheguei em casa a minha avó mandou eu fazer comida, pois não tinha comida para mim lá e que eu podia fazer mas reclamou e reclamou que eu não estava com meu ex e falava pra eu dar orgulho para ela, eu travei e não consegui falar, enfim viajei, pedi conselhos ao meu ex, pois ele mais que nunca sabia como era isso tudo e ele disse que assim que eu arrumasse emprego em Portugal, mostrasse que estava aqui, explicava tudo e falava que estava bem e trabalhando e no caso até poderia mandar dinheiro pra ajudar eles (algo que eles iriam ficar "orgulhosos"). Mas o destino meus amigos, o coronga entrou em ação quase 1 mês depois que estava aqui e ficou impossível de conseguir emprego, minha avó começou a não gostar deu estar sozinha no Brasil e então comecei a mentir falando que estava com amigas e que estava bem, meu tio começou a jogar umas indiretas sobre eu não estar em casa já que eu não fazia mais vídeos chamadas com minha avó, e minha avó falava em voltar sempre com meu ex, eu não consegui falar, pensei que conseguiria ficar com visto de trabalho e que com isso eles não poderiam sei la fazer algo para que eu voltasse para o Brasil, fora que meus sogros já acham estranho essa história de se conhecer pela internet do meu namorado e eu, então pensava que meu tio poderia achar nas minhas redes sócias meu sogro e inventar coisas e piorar meu relacionamento com eles, eu sou extremamente feliz com meu namorado, não sinto o peso da família sobre isso, podemos fazer o que quiser, voltei com meus cachos coisa que minha família detestava e nunca deixava que eu voltasse, ele me apoia e sinto que foi a melhor coisa que fiz é ter dado essa chance pra nós dois. Minha avó detestou que voltasse que os meu cachos mas meu namorado me apoio muito nisso. Minha avó gravou um áudio chorando falando que estraguei meu cabelo que minha mãe e ela viram meu cabelo na foto de perfil do whats que a mesma daqui e que estou péssima devo estar louca terminei meu namoro e agora isso que só faço desgosto e coisas do tipo, respondi com: eu estou linda me amo assim lide com isso. Minha avó de vez em quando manda dinheiro pra mim como presente, ja disse que não preciso, pois vejo que assim ela acha que eu tenho obrigações com ela, mas ela mansa pois sabe minha conta do banco e sempre me convence fala do a compra uma blusinha pra você e talz foi fulana que mandou (no caso fala que o dinheiro é presente de primos, madrinhas meu avô). Em Dezembro desse ano ira fazer um ano que vou estar aqui, pensei que em novembro poderia falar com minha família que iria viajar em Dezembro e fingir que esse meu 1 ano não existiu já que quase não fiz nada aqui por conta do coronga e até lá eu iria tentar me regularizar no país, então não teria a possibilidade deles fazerem algo contra, ao mesmo tempo tenho vontade de falar que já estou aqui quando eles me ligam e tirar esse peso, mas sei que as consequências podem ser muito piores e já que eu aguentei ate agora eu aguento até dezembro. Minha avo me liga regulamente e não sabe do meu atual relacionamento fico mal, mesmo sabendo que se eu apresentar meu atual ela não ira gostar dele da mesma forma que meu ex, por conta dela exigir essa coisa de boa família, eu queria que ela visse o quanto ele me faz bem e como sou muito mais muito feliz com ele.
Eae gente sou babaca de não falar que estou aqui em Portugal para minha avó e família?
Ps.: é irrelevante, mas meu tio é gay, esse amigo dele é marido dele, ele "esconde" isso da minha família, eles tem casa juntos, compraram carro juntos, tem dois dogs juntos, mas contam para todos que são amigos,quando outros familiares falam que acham isso estranho minha avó e minha mãe, ameaçam todos falando que é difamação e que eles vão ter que provar judicialmente. Para minha família isso seria algo horrível, não gosto do meu tio acho ele falso e dissimulado, mas fico mal por minha avó não aceitar ele e mesmo eu sendo heterossexual tenho amigos gays, bi etc... e minha avó não aceita o fato de ter "colegas" (já que pra ela não tenho amigas) bi e lésbicas, pois vão pensar mal de mim e elas só querem me levar para esse caminho do mal.
submitted by NayhAlmeida to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.22 18:33 Left4Joker O que não te contam sobre "sobreviver" ao COVID - Tradução minha, link do original no final

Muitas pessoas que pegam o novo coronavirus não passam por sintomas graves, e alguns sequer tem sintomas. Covid-19 guarda o seu pior para relativamente poucos.
A enfermeira de UTI, Sherie Antoinette viu varios casos graves em primeira mão. Os sortudos - se é que podem ser chamados assim - se recuperam, mas não no sentido de que suas vidas voltam ao normal. Para alguns, o dano é permanente. Seus órgãos nunca irão se recuperar totalmente.
"Quando eles dizem 'recuperado', eles não dizem que talvez você precise de um transplante de pulmão", escreve Antoinette em um post no Twitter. "Ou que talvez você volte após ter alta, com um terrível ataque cardíaco ou derrame, porque o COVID engrossa o sangue demais. Ou que talvez você precise continuar no oxigênio pelo resto da sua vida."
(Link: https://twitter.com/sheriantoinette/status/1272146291250933760)
O tweet de Antoinette disparou uma onda de respostas de ex-pacientes de COVID-19, familiares de pacientes, e enfermeiras trabalhando nas linhas de frente da doença. Nós selecionamos alguns dos tweets e estamos repassando com leves correções para manter a mensagem clara (nota do tradutor: também acabei adaptando expressões para melhor entendimento, nada do conteúdo original foi alterado). SFGATE não é responsavel pela autenticidade dos relatos.
(Nota do tradutor: no original os nomes das pessoas estão depois dos relatos, achei que seria mais interessante colocá-los antes)
-Dan
Eu estou atualmente em um hospital depois de ter um ataque cardiaco causado por coágulos resultantes do COVID-19. Estou com um stent (nota do tradutor: é uma endoprótese expansível usada para desobstruir artérias) em meu coração e preciso usar um monitor cardíaco todo o tempo. Agora encaro meses de recuperação incluindo terapia fisica e ocupacional. Tenho apenas 29 anos.
-Stephanie McCarrol
Eu acabei tendo uma insuficiência renal aguda e precisei de diálise. Eu agora tenho asma, tosse crônica e arritmia cardíaca. Tenho condições clínicas que nunca tive antes, e mais, estou esgotada o tempo todo. Eu espero que isto melhore, mas você (falando da Sherie) está correta*. E, o meu caso foi considerado moderado-leve.
*No original, "are on the money" é uma expressão utilizada para "estar correto".
-Enfermeira veterana há mais de 20 anos, via Dr. Dee Knight
Estas são minhas observações (de pacientes hospitalizados):
1) Todo mundo está tão inchado que há bolhas em suas peles, tão apertadas que parecem que vão explodir, da cabeça aos pés. E sua pele está tão seca e sensivel que é preciso aplicar Vasolina em praticamente todos os turnos - no corpo todo.
2) A pele de todos vaza um liquido claro, tem feridas e descama com qualquer virada ou esfregada, por todo o corpo.
3) O sangue de todos está grosso como lama. Não consigo entender o que está fazendo ele coagular desta maneira, mas está escuro e grosso.
4) Os rins de todos estão falhando. A urina está preta ou vermelha, o que contribuiria com o inchaço, mas não sabemos ainda.
5) Todos tem um ritmo cardíaco anormal. Não sabemos a causa. Mas mesmo em casos sem comorbidades prévias no coração, não está batendo normalmente.
6) Soa contraprodutivo, mas aqueles que não estão respirando em ventiladores precisam deitar sob seus estômagos para respirar melhor. E mesmo alguns que estão nos ventiladores também estão sob seus estômagos. E a menor das viradas em alguns é o que os leva quase à morte imediata. Tomar banho, se limpar, e virar para evitar que a pele se rompa quase causa quase sempre código azul (nota do autor: código emergencial dentre o meio médico), então a decisão precisa ser tomada em cima do que for mais importante.
7) Todos tem um catéter de Foley e um tubo retal - incontinência urinária e fecal.
8) Todos estão sendo alimentados por tubos. Todos.
Nunca antes na minha carreira eu enfrentei uma doença com esse processo de ataque.
-Enfermeira u/liveV4Vendetta
Eu passei 10 dias em um ventilador em Março com SRAG (Sindrome Respiratória Aguda Grave) e ainda estou no oxigênio. Ir para casa é apenas o primeiro de muitos passos na recuperação. Todos os as aspectos da minha vida mudaram para pior. Por favor apoiem qualquer um que sobreviveu. E usem máscara!
-Eli
Estou acabando de passar por um caso "leve" depois de dois meses. Há uma cicatriz na parte baixa do meu pulmão direito e meu estômago e digestão estão uma bagunça como nunca estiveram antes. Mas estou tossindo menos e posso voltar a fazer caminhadas novamente. E, aliás, esta é a terceira vez em dois meses que eu "fiquei melhor". Espero que esta seja a última e que não volte tudo DENOVO.
-Alicia
Sou uma enfermeira na ala de COVID, eu peguei a doença. Sou uma pessoa de 24 anos relativamente saudável, e mal podia andar um pequeno lance de escadas. Minha pressão sanguínea disparou, e a dor no peito era debilitante. Fazem 8 semanas e eu ainda sinto a dor no peito e falta de ar. Isto não é nenhuma brincadeira.
-Covid Teacher (dona de um blog, você pode conferir mais informações, em inglês, sobre a sua recuperação no link: https://covidteacher.com/)
Eu tive COVID por mais de 60 dias. Tenho 33 anos, era super saudável, pescatariana (nota do tradutor: pessoa que come peixe mas não carne de outro tipo), 57kg, corria e fazia yoga dia sim, dia não. Eu não conseguia andar durante duas semanas, apenas dar alguns passos. Foi a pior doença da minha vida.
Eu não percebi que tinha sintomas de COVID durante várias semanas. Estes foram os sinais iniciais:
-Acordar suada (eu normalmente não suo à noite)
-Calafrios esporádicos, mas sem febre (ou eu acho que talvez tive febre, porque só tirei minha temperatura durante o dia)
-Eu podia sentir cheiros normalmente, mas com alguns cheiros estranhos como cheiro metálico ou gás. Também senti gosto metálico durante as duas últimas 2-3 semanas. Aparentemente, gosto ou cheiro metálico está relacionado com problemas pulmonares.
-Intestino solto, mas não terrivelmente.
-Hollis Charles
Eu me "recuperei" em 29 de Março. Nasci 65 anos atrás com bronquite cronica que aparecia talvez duas vezes ao ano. Agora, depois do Covid-19, eu tenho ataques agudos de bronquite 3-4 vezes ao mês, e fico sem ar apenas de ir até a caixa do correio.
[email protected]
Eu tive COVID em Março, e em Maioo desenvolvi sintomas de encefalomielite e sindrome de fadiga crônica, que me deixam de cama por dias às vezes. Estou tão aliviada de que alguém também mencionou isso pra que eu saiba que não sou a única experenciando isso.
-Leanne
Minha mãe trabalhou em um centro de COVID e contraiu a doença, passou um mês na UTI. Ela tem sorte de estar em casa agora, mas luta para subir as escadas e será um longo caminho para a recuperação. Obrigado por tudo que você faz.
-Andi
Meu colega de trabalho - uma pessoa então saudável de 30 anos - ainda está tendo problemas para respirar dois meses completos depois. Nós temos pacientes voltando ao hospital depois de terem se "recuperado" porque não conseguemrespirar ou possuem coágulos. É insano.
-Melly B.
Eu tive em Março e passei 6 dias em um ventilador. Até então, ainda estou com pouco fòlego e me esforçando para respirar. Percebi que não estou urinando como costumava. E minhas pernas e pés continuam inchando ao ponto de os sapatos não entrarem. Mesmo chinelos.
-Laney Whitney
Sou uma pessoa saudável e ativa de 23 anos, e ainda tenho um significativo dano no pulmão, dois meses depois de eu ter me "recuperado".
[email protected]
É, minha mãe se "recuperou" no meio de Maio, exceto que não sobrou *nada* dela. Não conseguia comer ou beber, eles queriam inserir cirurgicamente um tubo de alimentação no seu estômago. Tive que incovar ordens de não reanimar ela (DNR - Do Not Resuscitate), e isso foi HORRÍVEL. Ela morreu em 25 de Maio. Obrigado pelo que você faz, fique segura, boa sorte.
-Padma's mom
Pior doença ever. Deixou eu e meu marido doentes e fracos por quase dois meses. Quase matou meu sobrinho perfeitamente saudável de 41 anos. Levou embora um amigo de 36 anos com duas ondas de pneumonia. Usem a droga das máscaras gente! O quão difícil é isso?
-Sue Mii
Meu marido e eu pegamos COVID há 2 meses e meio. Enquanto meus sintomas foram leves, ele teve de ser internado pois não conseguia respirar, e agora, um mês depois de se recuperar, nós descobrimos que ele tem DANOS PULMONARES PERMANENTES.
Isso não é só uma "gripe". Não é.
-Leticia Faye
Eu tive um caso "leve" em Fevereiro. Não fui hospitalizado. Mesmo assim fiquei bem doente com vários sintomas, incluindo inflamação e muita dor durante 3 semanas. Eu não tenho dúvida que o vírus cause danos permanentes. Converse com alguem que teve a doença antes de decidir sair de casa sem máscara.

Retirado de: https://www.sfgate.com/science/article/What-they-don-t-tell-you-about-surviving-15347792.php
Tradução: Alexandre Martins Hoppen Correia (@alexandremhcorreia)
submitted by Left4Joker to coronabr [link] [comments]


CALCULE O DIA DA SEMANA DE QUALQUER DATA - YouTube Como descobrir o dia da semana que você nasceu Dia da semana que você nasceu: veja suas características Em que dia da semana você nasceu? DIA DA SEMANA QUE NASCI - PEDROSA LIVE - YouTube Cálculo do Calendário: Dia da Semana de Qualquer Mês e Ano ... O DIA EM QUE A GENTE NASCEU - YouTube

Que dia da semana será 1 de Março de 2020 (1/3/2020)?

  1. CALCULE O DIA DA SEMANA DE QUALQUER DATA - YouTube
  2. Como descobrir o dia da semana que você nasceu
  3. Dia da semana que você nasceu: veja suas características
  4. Em que dia da semana você nasceu?
  5. DIA DA SEMANA QUE NASCI - PEDROSA LIVE - YouTube
  6. Cálculo do Calendário: Dia da Semana de Qualquer Mês e Ano ...
  7. O DIA EM QUE A GENTE NASCEU - YouTube

O dia da semana em que você nasceu tem muito a dizer sobre sua personalidade. Naturalmente, há sete dias da semana, e sete tipos diferentes de personalidades que servem a maioria. Desenvolvemos aqui um método prático de como saber o dia da semana em que ocorreu determinada data. Método excelente, principalmente quando desejamos saber o... Interessante atividade matemática, da área de teoria dos números, que permite a determinação do dia da semana de qualquer data (passada ou futura) a partir de 1900. deixe seu like e me siga na pÁgina do facebook inscreva-se no canal se estiver gostando das minhas lives e vÍdeos digite !comandos no chat do youtube para fi... Plataforma Waldemática: https://waldematica.com.br/ O nosso calendário possui propriedades matemáticas para obter o dia da semana ao qual uma data pertence. ... VÍDEO NOVO TODA SEMANA. INSCREVA-SE: https://www.youtube.com/c/oquenaodizeroficial NOVO INSTAGRAM: http://instagram.com/oquenaodizeroficial SNAPCHAT: oquenao... Como Descobrir o Dia da Semana de uma Data? Matemática Rio - Duration: 2:52. Matemática Rio com Prof. Rafael Procopio 116,768 views